• FEED

Clovis Akira

10 lições sustentáveis que o Japão pode ensinar ao Brasil

14 ago 2011 - Por em Casa Verde

Morei no Japão por mais de 10 anos e, graças a essa experiência, tive a oportunidade de aprender muito sobre a cultura e o respeito ao meio ambiente, assuntos que no Brasil, na época, não eram comentados.

A primeira coisa que aprendi ao desembarcar no Japão foi fazer a separação do lixo. Assim que me instalei no apartamento, o síndico do prédio me trouxe um folheto explicando como se faz a separação do lixo e os dias da coleta, também me presenteou com pacotes de saco de lixo de cores diferentes, um para cada tipo de lixo.

O folheto era impresso em três idiomas: japonês, inglês e espanhol. Assim, não tinha desculpa para não separar o lixo corretamente. Ao retornar ao Brasil, notei o quanto estamos atrasados em questão de sustentabilidade. Não é por falta de informação, mas sim consciência e educação nas questões ambientais.

Citaremos abaixo algumas lições de sustentabilidade, que fazem parte do cotidiano do povo japonês.

1) Coleta seletiva de lixo

O lixo é corretamente separado, sendo um saco de lixo de cor diferente para cada tipo de lixo. Ex: branco – plástico; preto – lixo de cozinha; azul – latas e vidros. As crianças aprendem desde pequenas na escola a fazer a separação.

O Japão é um dos países que mais recicla lixo no mundo. Dados da prefeitura de Tokyo dão conta que, no ano de 2007, o Japão reciclava em torno de 80% do seu lixo. A partir dessa data inicia-se uma campanha em todo o país intitulada “gomi zero” (lixo zero). O objetivo é diminuir todo o lixo que for possível, tanto doméstico como industrial.

Os principais tópicos da campanha são:

  •  Não compre artigos que você acabará jogando fora mais tarde;
  •  Use artigos que podem ser reutilizados muitas vezes;
  • Separe seu lixo cuidadosamente e recicle artigos que são reutilizáveis.

2) Destino correto do lixo

Não adianta separar direito o lixo se não existe um local adequado para o despejo. A separação correta do lixo facilita a destinação correta, o lixo é enviado para usinas de tratamento onde é separado por categoria e depois encaminhado para as indústrias onde será reaproveitado.

O lixo que não é reciclado vai para os incineradores, produzindo monóxido de carbono (CO). O monóxido de carbono, por sua vez, apresenta poder calorifico, isto é, pode ser queimado para gerar energia.

3) Utilização de fontes de energia renováveis

As grandes empresas japonesas já utilizam em suas plantas equipamentos que fazem uso de energia eólica ou solar. E as residências que instalarem o sistema de energia solar terão subsídios do governo com prazos mais longos de pagamento do equipamento, que ainda é bem caro.

Dependendo das condições da natureza, se a empresa ou residência captou mais energia que o seu consumo no mês, a empresa de energia local compra esse excedente, gerando lucro para quem tem o sistema instalado.

4) Utilização de novas fontes de combustível automotivo

No Japão, há vários anos já se utiliza o veículo híbrido, movido à gasolina e energia elétrica. São veículos de luxo, espaçosos e com grande autonomia. A bateria é recarregada em uma tomada comum em casa.

Como o carro elétrico ainda tem um custo mais elevado que o convencional, o governo concede subsídios atraentes para empresas que usam muito os automóveis, como vendedores e profissionais que prestam assistência técnica, por exemplo.

5) Economia de água e energia

As crianças aprendem na escola a ter consciência do uso correto da água e energia elétrica. É raro ver alguém lavando a calçada ou o carro com mangueira – isso é considerado desperdício –, o carro é lavado nos postos de gasolina e nos lava-rápidos, e as ruas são tão limpas que nem é preciso lavar a calçada. Todas as lâmpadas de casa são fluorescentes, bem mais econômicas.

Os lava-rápidos do Japão não têm nenhum funcionário, você coloca seu carro no box, põe algumas moedas, mais ou menos 5 reais, e a máquina lava o carro. No interior do lava-rápido existem grandes ralos onde toda água usada é captada e vai para reservatórios onde é tratada e reutilizada.

6) Respeito ao meio ambiente

As ruas são impecavelmente limpas, não existem garis, pois todos respeitam e seguem as normas, não jogando lixo nas ruas. Um domingo por mês os moradores do condomínio ou do quarteirão fazem um mutirão de limpeza, fazendo uma faxina na rua onde moram. Os rios são todos limpos, e nos fins de semana as pessoas praticam esportes aquáticos e pescaria.

7) Preferência pelo transporte coletivo


As cidades japonesas são dotadas de um excelente sistema de transporte coletivo, com trens, metrôs, ônibus e, em algumas cidades do interior, o bondinho. Também se utiliza muito a bicicleta para quem trabalha ou estuda perto de casa. O carro é usado somente nos finais de semana.

8) Preocupação com a poluição

Nas grandes cidades, foi proibido o tráfego de veículos movidos a óleo diesel. Os caminhões não podem entrar nas áreas metropolitanas, somente veículos leves de carga, elétricos ou movidos à gasolina.

9) Uso da tecnologia em favor do meio ambiente

O governo, preocupado com as questões ambientais, concede incentivo às indústrias para que desenvolvam produtos ou métodos de sustentabilidade.Um equipamento que me despertou interesse é um processador de lixo doméstico.

Possui o tamanho e o formato de uma lixeira, e todos os restos de alimentos são depositados nesse aparelho. Depois que o processador está cheio, é adicionado um produto que faz o processo de transformação do lixo em adubo. O processo é bem rápido e em poucos dias se obtém um fertilizante de ótima qualidade, que é utilizado nos jardins, nas pequenas plantações e nas hortas de escolas e residências.

10) Casas sustentáveis

As novas casas com arquitetura moderna são dotadas de sistemas de economia de energia elétrica, com sensores de presença, que fazem com que as luzes se apaguem quando não há ninguém no ambiente. Também são instalados reservatórios para captação de água da chuva, utilizada para regar as plantas do jardim e descarga para o banheiro.

Lições a serem aprendidas

Essas 10 lições são medidas simples que podem facilmente ser implantadas no Brasil inteiro. O que ainda falta para a maioria dos brasileiros é a conscientização de que somente nós mesmos poderemos mudar essa situação.

E ai, vamos começar a fazer a diferença?

Sobre o Autor: Clovis Akira ( @clovisakira | G+ )

Clovis Akira

Contabilista, Consultor em sustentabilidade , Articulista do Jornal Sete e admirador da cultura japonesa.

Site: http://clovisakira.blogspot.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Rodrigo

    Só digo que esse país é uma droga. Sei que nasci aqui, fui criado aqui. Admiro alguns países e sempre quis morar lá. Pena que como estou acostumado aqui, se eu for para outro tudo muda. Por exemplo, estudo e colégio público onde os professores não dão nada pra gente e vivemos na maior moleza, porque o Brasil não da valor a Educação, só querem saber de entretimento de Futebol, isso é o que me da mais raiva. Não tenho condições para estudar em um colégio melhor. Menosprezo sim, onde vivo. Mas não vivo reclamando não. Vou lutar pelos meus direitos e serei trabalhador. Ai sim posso ter dinheiro para poder morar onde eu quero.

  • Garibaldi

    Parabens pela iniciativa de divulgar esses conceitos de sutentabilidade, de respeito aos recusos que se encontram a nossa disposição.

  • Rivadávia Borba Filho

    Boa noite meus amigos brasileiros. Muito estimulante e excitante esta matéria do Sr. Clóvis. Me sinto simplesmente envergonhado com os comportamentos que testemunho por aí. Tenham certeza senhores, enquanto não tivermos uma educação à altura para as nossas crianças, com remuneração honrada e digna para os nossos heróicos professores, continuaremos a ser marionetes comandados por este ” LIXO NÃO RECICLÄVEL “, o qual chamamos de POLíTICOS ( de 5a categoria ). Estes sim são, o verdadeiro câncer nacional, e que continuamente impedem o Brasil de crescer e o povo brasileiro de viver e evoluir como deveria, deixando de ser um pais medíocre e famoso por seu “jeitinho brasileiro”, e paraíso da corrupção e impunidade. Que deus tenha pena de todos nós.
    Boa sorte a todos, e fé para os que ainda acreditam.

  • Maria Lucia Rodrigues

    estou me mudando para Camaçari/Lauro de Freitas, vou pedir uma audiencia com o prefeito e mostrar estas atitudes quem sabe se anima, e eu vou começar pelo meu condomínio, bairro, cidade e estado, spo assim vamos chegar em algum lugar.

  • Jenny

    Me considero ecologicamente correta, Coleta seletiva já faço há 20 anos e minha casa é 50% sustentável. O que NÃO podemos e nem devemos aprender com o Japão é a matança às baleias!

  • Eduardo Meireles

    Concordo com você quanto à necessidade de investimento pesado em educação. É a única maneira de mudar alguma coisa. E, justamente, sob esse aspecto, sabemos que não há interesse governamental em educar ninguém. Povo educado pensa e, consequentemente, não vota nos políticos que aí estão. Entretanto, é preciso lembrar que os políticos corruptos que se perpetuam no poder são fruto de uma sociedade também corrupta (como você já citou, nós somos o povo do “jeitinho”, não é?!). Enquanto a mudança não partir de cada um de nós, através de pequenas ações (mas que farão a diferença no conjunto), não adianta nos iludirmos achando que ela virá de cima pra baixo, ou seja, dos governantes para o povo.
    Façamos pois a nossa parte. ;)

  • Wellington Garcia

    legal mas o lixo eletrônico não é reciclado no japão, ele é enviado para países na africa.

  • Stéfano Marcos Cavalcanti Torr

    Como se destruir as florestas fosse menos pior.

  • Dinarte Lopes

    Bacana, sim, este artigo… Pena que o Japão, no entanto, não tenha aprendido sobre tratamento às Baleias em todo mundo, e seja tão assassino (!!!), e ainda não saiba que energia nuclear também é “só o fim”!… Mas vou acatar as dicas deles, pois aprendi: “Eu pego a coisa boa onde a encontro” (J.P. Sartre)…

  • isfuturebright

    Pena que dependem tanto da energia nuclear. É uma loucura isso.

  • JORGE GOTO

    Só para informar:
    O Japão é pobre em recursos naturais, de forma que maior parte dos alimentos são importados. Embora cruel e por conta dessa escassez, a “matança” de baleias e outros animais da fauna marinha é um mal necessário. A boa notícia é que já está sendo aplicado maior controle sobre o abate não só de baleias como de outras espécies. Também por falta de espaço físico e uma hidrografia rica como o Brasil, não há como pensar em hidrelétricas, daí o por que da s usinas nucleares. Outras alternativas são permanentemente pesquisadas como pode se constatar com os não tão raros anúncios de veículos elétricos (e outras inovações) muito perto de se tornarem viáveis…

  • kevin

    Critica o japão por matar baleias, e o tanto de vidas humanas que e muito mais valiosas, que são perdidas aqui no brasil por falta de moral e ética nesse pais, por causa de violência, e falta de cultura, e falta de raciocínio, sem falar na quantidade de animais abandonados e maltratados, que acabam morrendo. idai que la alguns matam baleia, nenhum pais e perfeito nesse mundo. Tira trave do teu olho invés de olhar o cisco do outro.

  • BERTIN

    Para o Brasil, só teremos uma solução se investirmos pesado em educação. Foi o que foi feito no JaPÁO E NA MAIORIA DOS PAÍSES DO MUNDO.

  • ineshr

    não é bem assim

  • ineshr

    nao adianta vc bater nessa tecla, e acusar, vc precisa entender o porquê de fazer, tem um cara aqui que respondeu certo, mais la para cima.

  • ineshr

    verdade

  • ineshr

    vc disse muito bem, pena que alguns só pensam em criticar para o mal! deveiam saber o por quê de fazer tal coisa!

  • ineshr

    A reciclagem pena que não é estendido ao Brasil todo, né?

  • ineshr

    é isso aí Rodrigo, vá à luta!

  • blogcarlosromero

    A postagem é ótima. Gostei muito. Mas também concordo com a opinião de Jenny. É difícil entender como um país tão adiantado em termos de ecologia ainda não conseguiu abandonar essa prática abominável de matar baleias, como já fizeram outras nações mais avançadas. Não adianta comparar com o que acontece no Brasil, que é um país prá lá de subdesenvolvido. Bom exemplo mesmo é o da Nova Zelândia, que tem uma consciência ecológica impressionante!!!

  • joao

    e qual outra fonte seria utilizada a de minerais?
    ante de tomar um partido tome um conhecimento mais adequado, nao critique sem ter fundamentos

  • joao

    o lixo é utilizado até para fazer ilhas, sem contar que um dos principais aeroportos japones é uma ilha com base de lixos

  • joao

    as baleias são 100% utilizadas da gordura até o nadadeira inferior da baleia.
    acredito q deveria ser mais consciente a caça porem assim como muitos países a caça marítima faz parte de sua cultura

  • joao

    e com qual fonte voce pode afirmar isso?

  • Gostei da frase de Sartre. O Japão tem muitas coisas boas mas algumas não boas. Vamos copiar as boas para melhorar nosso Brasil!

  • Victor: o Japão ficou assim por necessidade.

  • DARLAN BERNARDO

    O detalhe meus queridos é que todo esse processo não nasceu do dia para a noite, isso é fruto de uma educação, primeiro a primaria que é o respeito ao próximo e a seu espaço e a secundaria, é a educação nas escola, as crianças são libertadas ainda nos seus primeiros momentos de escola, haja vista, que segundo a bíblia, o conhecimento liberta. Nunca jamais e em hipótese alguma, faremos qualquer coisa que seja, sem antes termos uma EDUCAÇÃO de qualidade. Eu lamento e sofro muito, quando vejo nossas crianças cooperando para o crescimento do lixo nas ruas, os adultos falando que se não houver lixo nas ruas, não ha trabalho para os garis, esquecem que seria mais racional se os garis estivessem nas ruas para manter as ruas limpas e não para a cada meio período do dia juntar repentinamente toneladas e mais toneladas de lixo. Mais eu tenho esperança e vou lutar a favor da educação como um todo nas escolas e posteriormente uma educação ambiental para todos!!!!

  • Ruth

    eu acho que isso ensina muitas coisas mas tambem poderia falar sobre o preconceito essa é uma das lições que o brasil precisa

  • Roberto Prestes

    E aqui no Brasil caro Jorge, so existem coisas boas, um bando de ladroes do PT, vagabundos vivendo de bolsas esmolas, um pais onde um bandido mata um pai de família e ainda ganha um salário pelo ato. Enquanto a família que perdeu seu ente não vai la um fdp dos tais direitos humanos perguntar se esta tudo bem. Caro Jorge você para mim e um hipócrita você e uma pessoa sem cultura resumindo por causa de pessoas como você nosso pais esta essa bosta. você fou um dos hipócritas a colocar um bêbado ladrão para você chamar de presidente da republica e por fim ainda colocou uma ladra e terrorista no poder. Como sempre falo cada um tem seu governo que merece, mas não se esqueça existem pessoas que tem uma cultura quer algo bom para seus familiares, e não temos que carregar nas costas seus erros. Você para mim e doente seu hipócrita.

  • João Francisco Carrozza

    E um Viva ao Japão, um exemplo de civilidade.

  • me

    euem

  • me

    seloko tiozão. nao axo isso serto… so ideia erada

  • me

    Mas PT é o melior. eles salvaro o brasiu

  • me

    depende da mãe ué

  • me

    eh sim… lojik que eh

  • me

    temq mata memo, comi e eh uma delisia

  • me

    pobrema sseu