• FEED

Nadia Cozzi

Vídeo mostra o verdadeiro custo-benefício dos alimentos que consumimos

05 jun 2012 - Por em Videos


Engraçado, como no mundo atual conseguimos enxergar a necessidade de calcular o custo-benefício de tudo, mas não nos atentamos à equação “Ecologia x Benefício”.

No caso dos alimentos orgânicos é evidente: a utilização da mão de obra dos agricultores familiares, o menor impacto na natureza, o menor gasto com energia elétrica e com maquinários são alguns dos fatores que geram, consequentemente, um processo de produção mais sustentável. Além disso, as pessoas ficam livres dos efeitos dos transgênicos e aditivos químicos.

As donas de casa que optam pelos orgânicos podem aproveitar tudo dos alimentos, inclusive as cascas, que guardam, nos alimentos convencionais, grandes quantidades de agrotóxicos. Temos consciência de como os agrotóxicos afetam o comportamento do homem, sua fertilidade e virilidade, provocando sérias alterações hormonais, a destruição do ecossistema, o envenenamento da água, da flora e da fauna.

Mas será que consideramos tudo isso no cálculo do custo-benefício? E no cálculo Ecologia-Benefício?

Lidando com a desinformação



É hora de compreendermos a realidade em que estamos inseridos e deixarmos de lado as bobagens que cansamos de assistir na grande mídia. Como em outro dia, uma culinarista dizendo que, para tirar o agrotóxico do morango, bastava mergulhá-lo em uma solução com bicarbonato de sódio.

Vejam bem, os morangos são cheios de poros que há muito absorveram os agrotóxicos. O que está presente na superfície da fruta é mínimo. Como ela pode passar esse tipo de informação a milhares de pessoas? Como algumas pessoas podem ser tão irresponsáveis com a saúde alheia?


E a propaganda então? Já falei aqui do caso da maionese industrializada que se diz tão saudável quanto o milenar azeite de oliva. O suquinho em caixinha que se utiliza de bichinhos e crianças para dizer que é tão bom quanto uma maçã. Amor, carinho e felicidade nas propagandas de refrigerante que tem doses absurdas de sódio e açúcar. O caldinho de carne cheio de glutamato monossódico, mas que deixa um sabor incrível de “tudo a mesma coisa”. Isso sem falar do 0% de gordura trans colocado nos rótulos em letras garrafais e, bem pequenininho, ao lado, a porcentagem de biscoito em que isso é verdade.

Tudo isso gera a necessidade de desenvolver um senso crítico que nos permita entender a realidade não apenas aparente, mas enxergar nas entrelinhas onde estão os enganos, não engolir mais o que nos impingem. Pensar e tomar consciência do papel de cada um nesta Sociedade em que vivemos, ou então não podemos falar de Sustentabilidade, Natureza, Alimentação, Ecologia ou qualquer outro termo ligado à Vida.

Custo-benefício Ecológico


Bom assistir a este vídeo longo, mas extremamente esclarecedor, chamado Comida S/A (Food, Inc., 2008). Dirigido por Robert Kenner, o documentário nos mostra o quanto estamos longe da comida que ingerimos e sua procedência. Nos leva a indagar sobre o quê, de fato, sai mais caro, o alimento convencional ou o orgânico. Custo-benefício, não. Custo-Ecologia-benefício, Custo-Saúde-benefício, Custo-Vida-benefício.

 

Assista ao vídeo abaixo (se estiver lendo via RSS ou E-mail clique aqui para ver o vídeo):

 

Quero ressaltar um trecho do filme, para que possamos ter consciência do nosso papel como cidadãos e habitantes deste Planeta:

“A ironia é que o consumidor comum se sente quase impotente, julgam ser apenas recipientes para o que quer que a indústria tenha colocado lá para consumirem. Acreditem é exatamente o oposto. Quando passamos um produto por um leitor óptico, estamos votando pelos alimentos locais ou não, pelos orgânicos ou não.”

“Imaginem o que seria se tivéssemos uma política nacional que dissesse que apenas seríamos bem sucedidos se tivéssemos menos pessoas hospitalizadas no ano que vem, em comparação às deste ano? O que me diz disso para o sucesso?”

“O objetivo seria então ter alimentos tão nutricionalmente densos e inalterados que as pessoas que os comessem se sentissem melhor, tivessem mais energia e não ficassem tão doentes! Esse é um objetivo muito nobre!”

Esta semana não tem receita, tem conselho. Muita fruta, muita salada, muito respeito a você e ao Meio Ambiente. Sempre!

 

Onde encontrar produtos orgânicos

Lista de produtores de alimentos orgânicos – organizada pela AAO.

Lista de feiras de produtos orgânicos – organizada pelo Idec.

 

 

Fotos: FoodInc / Portal3

Sobre o Autor: Nadia Cozzi ( @nadiacozzi | G+ )

Nadia Cozzi

* Consultora de Alimentação Consciente e Desenvolvimento Pessoal. * Pesquisa desde 1994 a Agricultura livre de Agrotóxicos e o Ato de se alimentar e a Consciência de quanto ele interfere na Saúde Física, Emocional e Mental do Ser Humano e os efeitos da produção de alimentos para o Meio Ambiente. * Idealizadora do Instituto Pedro Cozzi - Espaço DAR VIDA – (institutopedrocozzi.blogspot.com.br) * Livros sobre uma nova consciência ecológica: (http://alimentopuro.synthasite.com/livros.php) * Blogs: Alimento Puro: alimentopuro.blogspot.com Bio Culinária: bioculinaria.blogspot.com

Site: http://nadiacozzi.yolasite.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Jbispo

    esses documentarios, são tão importantes para a grande massa, mas infelizmente poucos são informados, as tvs abertas poderiam contribuir e mt nessesprocesso de informação, mas estamos avançando.

  • Pingback: O verdadeiro custo-benefício dos alimentos que consumimos | CONTEM()

  • Pingback: Substituindo Ingredientes Industriais por Naturais | Coletivo Verde()

  • Desculpem, mas é uma utopia querermos nos alimentar de alimentos orgânicos se eles tem um custo 2, 3 vezes maior que os outros. A maioria da população não tem condições financeiras de arcar com esse custo, mesmo se largar de comer McDonald aos fins de semana. Meu sonho me alimentar somente de vegetais orgânicos……

  • NadiaCozzi

    Olá LeeAmy, discordo de vc, os alimentos orgânicos são caros nos supermercados, procure feiras livres especializadas ou produtores que entregam tudo fresquinho na porta de sua casa. Vale a pena!

  • Hermes Garcia Filho

    eu tenho umas idéias razoavelmente sustentáveis: caso v ocê tiver muito leite em casa, e não quiser fazer iogurte(tem receita espalhada na internet), faça maionese sustentável sem ovo. a receita é simples: para um copo de leite(serve qualquer leite), uma colher de sal, bata os dois ingredientes no liquidificador e coloque óleo de cozinha(com o liquidificador batendo) até ficar consistente como maionese. se quiser opcionalmente coloque manjericão, alho ou cebola a gosto.

  • Hermes Garcia Filho

    também tem receita de 2 patês: o de castanha-de-caju, 1 xícara de castanha-de-caju, 1/2 xícara de tomate refogado com temperos opconais, e 3 colheres de óleo de oliva. junte tudo e bata no liquidificador, acrescente mais água, se necessário. agora, o patê de abacate, bem mais fácil: 1 abacate, 1/3 de dente de alho e sal, bata tudo no liquidificador, pronto!

  • Hermes Garcia Filho

    para ajudar o meio ambiente, em vez de comprar óleo de soja, compre óleo de abacate ou castanha-do-pará, mas lembre-se: o preço é bem salgado, R$34,00 o frasco. mas vai ajudar muito o meio ambiente, pois se a demanda aumentar o preço diminui, pense nisso.