• FEED

Guilherme Augusti Negri

Banquinho estiloso e ecológico

O banco Guinlo da Pino é perfeito pra quem busca design e sustentabilidade.

Os arquitetos Natália Silveira e Alexandre Barros desenvolveram o produto se inspirado nos  banquinhos que custumavam observar na casa de suas avós. O banquinho tem um design super bonito e possue as seguintes características sustentáveis:

  • Madeira certificada FSC
  • Design orientado para a montagem e desmontagem, utilizando elementos de junção do tipo encaixe e minimizando o uso de parafuso
  • Produção com o sistema CNC de usinagem, otimizando o corte da madeira com baixo consumo de energia e pouca geração de resíduos
  • Utilização de acabamento atóxico no modelo em OSB.

Super bacana né? Estão disponíveis nas cores:  madeira, branco, vermelho, verde-claro, violeta e amarelo-ouro.

O banquinho  custa R$104,00 e pode ser comprado via internet diretamente por este link.

Você pode também conferir diversos outros produtos ecológicos no Site da Pino , vale a visita.

Mande dicas de produtos sustentáveis para o blog! É só enviar um e-mail para guilherme@coletivoverde.com.br , ou deixar um comentário =)

Saiba mais:
Pino Website
Oque é certificação Florestal? (WWF)

Sobre o Autor: Guilherme Augusti Negri ( @coletivoverde | G+ )

Guilherme Augusti Negri

Empreendedor com veia social e ambiental e músico por hobby. Fundador do Coletivo Verde.

Site: http://www.coletivoverde.com.br - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Jcpunk

    Banquinho feio pra caramba e que ainda por cima enrosca nas roupas, puxando fios, indicado para ripongas e não para pessoas de bom gosto !

  • gustavorps

    Gostei do design orientado para a montagem e desmontagem, para mim realmente fez diferença no produto junto com todo seu processo. Porem ainda considero o valor um pouco fora da minha realidade.

    Como fica a questão da durabilidade? Algum feedback neste quesito?

  • Anderson Oliveira Sampaio

    Por esse valor não é nada sustentável, é muito papel kkkkkkkkk

    Brincadeiras à parte, pois sabemos que produtos assim tem preços altos e por isso são dificilmente fabricados. Uma dica é usar madeiras que seriam lixos, como aquelas de camas e sofás velhos que estão sendo descartados. Aliviaria o preço crescendo a demanda e poderia ofertar um valor mais barato, creio eu. Sendo assim, mais pessoas teriam acesso.