• FEED

Tulio Kengi Malaspina

Como funcionam na prática os bicicletários do Metrô em São Paulo

12 jul 2012 - Por em Vida Verde

Sou um usuário assíduo do sistema de transporte coletivo da cidade de São Paulo e já testei a grande maioria das opções de mobilidade que estão disponíveis. Há seis anos moro em SP e utilizo o metrô pelo menos uma vez por semana e somente este ano reparei os novos símbolos nos mapas das estações.

Para quem não vive em São Paulo é preciso ressaltar que o metrô está em constante desenvolvimento e é difícil acompanhar todas as novidades.Os símbolos que citei são bolinhas, algumas completamente verdes e outras com bolinhas pretas no centro, posicionadas logo após o nome de algumas estações. Como você pode reparar na legenda abaixo do mapa, esses círculos caracterizam os locais que possuem bicicletários!

Mapa Metrô

Mapa Metrô – Download do PDF em Alta Resolução de JUNHO 2012  – ( Fonte )

Estações com Bicicletários

Não sei dizer se estive desatento durante um bom tempo ou se a comunicação desses bicicletários era muito ruim, mas o projeto existe a muito tempo. Abaixo as estações que já possuem bicicletários, todas com 10 bicicletas disponíveis para empréstimo e 10 vagas de estacionamento

  • Guilhermina-Esperança
  • Liberdade
  • Armênia e Santana (Linha 1-Azul)
  • Vila Madalena (Linha 2-Verde)
  • Brás
  • Palmeiras-Barra Funda e Santa Cecília (Linha 3-Vermelha)
  • Paraíso
  • Vila Mariana (Linha 1-Azul)
  • Anhangabaú
  • Marechal Deodoro
  • Sé (Linha 3-Vermelha)

Quando vi essa quantidade de pontos verdes no mapa fiquei muito contente e cheguei a acreditar que as políticas de utilização do metrô haviam mudado, ledo engano. Mesmo com uma estrutura (básica, eu sei) estabelecida, os ciclistas continuam com horários complicados para usufruir do metrô: De segunda a sexta, após às 20:30, sábados a partir das 14h e domingo e feriados o dia inteiro.

Regras para quem quer utilizar o metrô com sua bicicleta:

pedalar-sp-regulamento-metro-ciclista-2

Preços e Horários

Curioso que sou, fui até o bicicletário da Vila Mariana para entender melhor como funciona esse projeto. Eram 16:00 de uma terça e só havia mais uma bicicleta para alugar e outras duas que estavam estacionadas.

O funcionário responsável me informou que a utilização do serviço tem sido grande e que os bicicletários ficam abertos diariamente, das 6h às 22h (exceto Paraíso que funciona das 06h às 20h de 2ª a 6ª feira e das 06 às 22h sábado e domingo e Anhangabaú das 06h às 19h30 de 2ª a 6ª feira e das 08h30 às 17h30 sábado e domingo).

Para utilizar o estacionamento do bicicletário é preciso fazer um cadastro e apresentar seu RG e CPF. O preço para o empréstimo é muito animador: A primeira hora é gratuita e para as demais horas é cobrada a bagatela de R$2,00 a hora. No caso dos empréstimos, também é necessário um cartão de crédito Visa, Mastercard ou Amex com um limite disponível de R$ 350,00 para pré-autorização e comprovante de residência. Para democratizar o máximo o possível, pessoas que não possuem cartão de crédito devem fazer o seguinte:

Quem não possui cartão de crédito pode comparecer à sede do Instituto Parada Vital (Alameda Barão de Limeira, 985, 5° andar, Campos Elíseos – Telefone 3661-0332) munido do RG, CPF, comprovante de residência (originais e uma cópia) e duas fotos 3X4 para confecção da carteirinha, que dará acesso ao serviço. Serão cobrados R$ 50,00, sendo R$ 25,00 para inscrição e cadastro e R$ 25,00 como crédito para utilização no sistema.“

O interessante é que, na retirada da bicicleta, o ciclista recebe um capacete e cadeado e pode devolver a bicicleta em qualquer outro bicicletário do sistema, bem parecido com o sistema utilizado em cidades da Europa, tais como Paris e Barcelona.

Eu ainda estou pensando em formas de se utilizar os bicicletários e pretendo entrevistar alguns ciclistas para saber a opinião dos heavy users e também para saber como eles tem usufruído desse serviço.

Sobre o Autor: Tulio Kengi Malaspina ( @tuliomalaspina | G+ )

Tulio Kengi Malaspina

Formado em Marketing (ESPM-SP), tem diversos cursos voltados à redes sociais e sustentabilidade. É fundador da SustentaLab, editor no Atitude Eco e sócio fundador da Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps).

Site: http://www.tuliomalaspina.tumblr.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Quanto a proibição do transporte de bicicletas nas escadas rolantes, isso já mudou. Desde o dia 04 de fevereiro deste ano. :D
    http://www.estadao.com.br/noticias/geral,metro-de-sp-libera-bikes-nas-escadas-rolantes,828736,0.htm 

    Aqui no Rio a luta continua!
    Saudações ciclísticas!

  • Acho que tem três pontos diferentes nesse artigo: um o transporte de bicicletas no metrô, outro o empréstimo de bicicletas e o terceiro o estacionamento de bicicletas. As informações parecem um pouco confusas.

  • Farei o update da matéria! Muito obrigado pela informação Blé! ;)

  • Thon_costa

    Parabéns pelo máteria, muito interessante!

  • Joel Vecki

    Oi, ficarei em São Paulo por dois meses, trouxe minha bike, as vezes preciso ir de ônibus para minha cidade. É possível deixar a bike por um dia ou dois nos estacionamentos?

  • Artur

    Já está na hora de o metrô se adaptar ao uso de bicicletas em sp, existem vagões que poderiam ser comprados (espero que sem fraude nas licitações ou superfaturamento) só para atender aos ciclistas, um vagão excluso onde as bicicletas poderiam ser penduradas, aliadas a isso ciclovias instaladas nas proximidades combinadas à educação de trânsito no ensino… muito ideal eu sei, mas há à luta