• FEED

Renato Ribeiro

Bob Geldof – O artista que transformou a vida de milhares de pessoas

16 dez 2011 - Por em Vida Verde

Algumas pessoas são “tietadas” por conta de seu sucesso midiático e sua imagem exuberante. Outras, artistas de verdade, são endeusadas por suas obras de arte, ou ainda são admiradas e servem de inspiração e exemplo para causas bem maiores que o seu ego.

Neste estágio encontramos artistas, músicos, atores e atrizes como Peter Gabriel, Daryl Hannah e Bob Geldof que, em algum momento, decidiram dedicar parte de seu trabalho e tempo para melhorar a vida de outras pessoas e fazer a sua parte para salvar o planeta.

Bob Geldof

Bob Geldof, na verdade, é um pioneiro neste campo. Ator consagrado pelo filme The Wall, líder de uma banda de rock dos anos 80 e indignado com a crise da fome vivida na Etiópia, reuniu outros músicos, inclusive Boy George, Bono Vox e Paul McCartney, com o objetivo de gravar a música Do They Know It’s Christmas? e criar o festival Band Aid para angariar fundos e reverter toda a renda para a causa.

O festival, além de arrecadar milhões de libras, foi assistido ao vivo por mais de 2 bilhões de pessoas em 150 países, superando toda e qualquer expectativa da época. Além dos recursos e da divulgação da causa, o festival estimulou outras ações, como a de Michael Jackson, Stevie Wonder e Lionel Ritchie, que produziram a famosa música We Are the World.

Acima, o vídeo da música They Know It’s Christmas? sendo tocada ao vivo no festival Band Aid. Se você estiver lendo via e-mail ou RSS, clique aqui para ver o video.

Posteriormente a este evento, Bob Geldof organizou o show Live Aid, realizando concertos ao redor do mundo inteiro para levantar recursos para acabar com a fome na África.

Hoje ele continua se dedicando às pessoas e ao planeta, palestrando sobre os impactos do aquecimento global que, se não for freado, sem dúvida comprometerá a vida de bilhares de pessoas.

Bate papo com Bob Geldof

Tivemos o imenso prazer de conhecer Bob Geldof em sua passagem pelo Brasil no Fórum de Sustentabilidade do SWU. Visitamos o seu camarim e lá batemos um papo bacana. Ele é super simpático e nos recebeu mesmo visivelmente cansado (o que foi confirmado por uma de suas assessoras, nos contando que ele nem ao menos havia almoçado e estava muitas horas sem dormir).

Bob contou sobre suas preferências musicais, brincou dizendo que admira a música brasileira, mas que não é o tipo de som que gosta de escutar. Fez uma dancinha cantando uma espécie de bossa nova e disse que não era o seu estilo preferido.

Entrando no assunto sobre a transformação social através da música, Bob contou que o artista é como o Flautista da Hamli, personagem de um conto folclórico, que com sua flauta encanta ratos que estão infestando uma cidade e, por meio da música, são levados para fora de lá. Ele enfatizou que o papel do artista é encantar, sensibilizar as pessoas.

Bob diz não acreditar que a música deva ser totalmente política e não confia em bandas apenas panfletárias, pois afirma que esta postura simplesmente não funciona. Ele acredita que quem deve soar de maneira revolucionária é a própria música e, como exemplo, cantou um Blues dizendo “esta é a pegada, o som fala por si”. Enfim, conversar com uma lenda viva como Bob Geldof foi uma experiência fenomenal.

Bob Geldof foi capaz de fazer com que o mundo tomasse conhecimento do grave problema da fome na África e o mundo artístico começou a tomar para si a responsabilidade que até então se limitava aos chefes de estado. Bob tornou-se um líder apartidário e sem cargos políticos, admirado e reconhecido no mundo inteiro por sua dedicação e coragem para enfrentar políticos. Sua determinação é inspiração para muitos artistas do seu tempo, passado, presente e futuro.

Fotos: Marcelo Camargo de Aguiar

Sobre o Autor: Renato Ribeiro ( @renatocenografo | G+ )

Renato Ribeiro

Formado em Comunicação Social pela FAAP, sempre mergulhado no trabalho cenográfico,Renato Ribeiro realiza direção de arte para cinema e vídeo, organiza equipes e coordena trabalhos de cenografia em todos os campos, dos estúdios de produção aos mais diversos ambientes temáticos, além de desenvolver peças exclusivas, principalmente com material reciclado e ambientalmente correto. Especialista em Ecologia, Arte e Sustentabilidade pela UNESP e UMAPAZ, Renato acredita que resguardar as condições de vida no planeta é responsabilidade de todos os seres humanos, em especial artistas, comunicadores, empresários, homens públicos e todos aqueles que têm condições de influenciar pessoas e de modificar e interferir no meio ambiente de forma positiva.

Site: http://www.cenografiasustentavel.com.br - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Belo texto Renato =)

    Cara foi um prazer imenso conhecer o Bob, o cara realmente á uma lenda!!!!
    Foi animal =)))