• FEED

Tulio Kengi Malaspina

Como a comunicação nas embalagens pode contribuir para o consumo consciente?

Em julho de 2011, escrevi um post sobre embalagens citando cinco exemplos de benefícios que os designers e publicitários levam ou deveriam levar em conta durante o processo de criação desses itens.

Hoje vou aprofundar o tema da comunicação para demonstrar como esse quesito é importante para o consumidor e também para a marca. Nós estamos muito acostumados com a relação de consumo destas informações e muitas vezes nem notamos o seu papel no processo de compra.

No dia a dia você pode nem notar, mas toda embalagem apresenta basicamente:

  • O nome da marca que comercializa o item;
  • O nome do produto;
  • A quantidade de produto que você estará adquirindo ao escolher essa embalagem;
  • O local onde foi fabricado;
  • Informações de atendimento ao consumidor;
  • Código de barras.

Além do básico, cada tipo de produto apresenta especificidades que devem ser comunicadas. As embalagens dos medicamentos são caracterizadas por faixas com cores distintas, as de alimentos e bebidas devem conter informações nutricionais e ingredientes do produto, data de validade e assim por diante.

A lista de informações que devem estar presentes nas embalagens pode parecer grande mas ainda é muito pouco, perto do que está por vir. Há dez anos, o consumidor não tinha acesso aos valores nutricionais dos produtos que comprava e as fabricantes argumentavam que essa medida era uma grande besteira pois os consumidores não teriam capacidade de avaliar as informações disponibilizadas.

O tempo passa e as mudanças se tornam rotina. Ninguém mais discute a importância de disponibilizar determinadas informações para o consumidor. É uma questão de transparência, ética e bom relacionamento. Por meio das inovações tecnológicas, nós estamos prestes a aumentar o poder do consumidor de obter informações relevantes sobre os produtos.

Existe um aplicativo para Android chamado Google Goggles, que faz o reconhecimento de uma imagem (arte, local, CD, livro, logo) e te dá informações sobre o item, tais como o local para comprar e o preço, por exemplo. Esta mesma tecnologia pode ser utilizada para trabalhar a rastreabilidade dos produtos, fornecendo informações sobre o processo de fabricação, quantidade de matérias-primas gastas para sua produção e também quem são os produtores dessas matérias-primas.

Desta forma, poderiam ser disponibilizadas uma série de informações úteis para as pessoas que estão buscando produtos que tenham menos impactos negativos.

As informações relacionadas à fabricação devem se tornar obrigatoriedade nas embalagens. São essenciais para informar o consumidor sobre o ciclo de vida dos produtos e também ajudam a prevenir casos como o da Zara e a questão do trabalho escravo.

Enfim, as embalagens são importantíssimas para promover o consumo consciente. As novas tecnologias estão possibilitando interações que permitirão que mais e mais informações relevantes contribuam para a escolha dos consumidores.

Em alguns anos, a partir de código em embalagens, nós teremos acesso a todo tipo de informação, desde a cadeia produtiva até descarte e dicas de utilização dos produtos. Mal posso esperar para ver o dia em que a rastreabilidade se torne uma realidade.

Sobre o Autor: Tulio Kengi Malaspina ( @tuliomalaspina | G+ )

Tulio Kengi Malaspina

Formado em Marketing (ESPM-SP), tem diversos cursos voltados à redes sociais e sustentabilidade. É fundador da SustentaLab, editor no Atitude Eco e sócio fundador da Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps).

Site: http://www.tuliomalaspina.tumblr.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Muito boa edição Guilherme.

    Um grande abraço meu amigo.

  • Anafolha1@gmail.com

    Prezado Túlio,
    Olá!
    O post é muito eco-especial para a compreensão dos cidadãos comuns!
    O papel da comunicação ambiental é indispensável para educar na escola, no mercado, na empresa e nos ambientes de convivência social.
    As embalagens são de fato, uma grande eco-portunidade para alertar sobre os malefícios do consumo insustentável! (Excelente consideração!!)
    Parabéns!
    Att, Luciana Ribeiro de Brasília

  • NadiaCozzi

    Tulio muito bom seu Post eu só acrescentaria que é essencial prestar atenção aos ingredientes do produto para se analisar se é um produto bom para a saúde do consumidor e do Meio Ambiente. Chamo atenção também para os casos onde se lê que o produto tem 0% de alguma coisa, mas bem pequeno aparece a quantidade a que se refere esse 0%. Isso acontece muito nos produtos que tem a gordura vegetal hidrogenada, a famigerada gordura trans, aparece 0% de gordura trans em letras bem grandes e bem pequeno em 2% do alimento.

  • Talita Morais

    Sem contar que essa informação “sem conservadores” nem é vdd!!!!
    Eu sou SUPER alérgica, e os conservantes presentes em alimentos industrializados só agravam o meu quadro.
    Seria importante conter informações como, sem tal e tal conservantes, mas contém tal e tal em LETRAS VISÍVEIS!
    É horrível para mim quando vou comer algo, preciso ficar TENTANDO LER AS LETRAS “SUPER GRANDES” das embalagens para poder comer algo sem ter que ir para o pronto socorro.