• FEED

Eco Mãe – Reflexões e dicas para ser uma mamãe sustentável

06 maio 2011 - Por em Casa Verde

Será que existe um modelo de “Mãe Ecológica”? Um pacote básico de práticas sustentáveis para o dia a dia: evitar desperdício de recursos naturais, usar uma eco bag descolada, andar de bicicleta, sempre que possível consumir produtos orgânicos, ficar antenada em eco moda, focar na reciclagem. Sim, de fato são traços de uma “Mulher Eco”! Mas, enquanto mães, não podemos nos resumir só a esse perfil… Temos um longo trabalho de construção!

A começar por mim, não consigo andar de bicicleta… Nunca aprendi! Desmontei minha primeira bicicleta todinha! Peça alguma ficou conectada à outra… Eu tinha mania de desmontar tudo! Eu já não cumpro todos os itens que traçam um pequeno perfil de “Mãe Ecológica”.

Uma boa parte de população, não tem o mesmo problema que eu (andar de bicicleta…), mas não tem acesso a produtos orgânicos, ou roupas eco. Estamos caminhando para ter mais produtos e, mais acessíveis nesses quesitos. Vivemos num país que AINDA não oferece amplamente serviços e produtos verdes. Eu disse, amplamente. Alguns poucos têm acesso.


Algumas mães conseguem cumprir todos os itens da listinha básica apresentada no primeiro parágrafo. Digo básica porque a preocupação ambiental vai além da mencionada lista. Outras, não conseguem – ou porque não tem acesso à informação e a produtos verdes ou porque realmente não despertaram para a urgência do respeito ao planeta e preservação de seus recursos naturais.

A sustentabilidade é um conjunto de iniciativas que vão interferir nos conceitos econômicos, sociais, culturais e ambientais dentro da sociedade propiciando uma conciliação contínua e harmônica das atividades humanas, sem desprezar as necessidades das gerações futuras. Em tudo que fazemos, devemos estar sempre atentos à preservação da biodiversidade e ecossistemas. E como mães a responsabilidade aumenta! Estamos formando cidadãos. O conceito de sustentabilidade dever ser praticado e exemplificado diariamente para os pequeninos.

Entendo que toda iniciativa eco só terá lógica (e principalmente resultados) quando estiver em todas as esferas e ambientes de nossa sociedade, quando constar como pauta obrigatória em nossas disciplinas escolares (particulares e públicas), quando for base na formação de cada cidadão, seja qual for sua classe social. Quando TODOS forem INCLUÍDOS nestas iniciativas eco. Quando conseguirmos falar em sustentabilidade em todos os bairros e vielas das cidades brasileiras, dentro da realidade de cada um.

Mas, o que qualquer mãe mais deseja para seu filho? Um mundo melhor! Independente de sua cor, raça, nacionalidade, credo… Um mundo melhor!
Então para plantar responsabilidade ambiental em nossos filhos, segue abaixo algumas pequenas e básicas dicas para que todas as mães possam viver a sustentabilidade junto com seus filhos, incentivando responsabilidade ambiental e social desde cedo!

a) Alimentação – Nada como preparar comida do seu filhote em casa. Se possível, com eles! Assim o contato com alimentos naturais e saudáveis é estimulado e a questão do aproveitamento total é trabalhada, evitando desperdícios. A cozinha é um ótimo local para aprendizado, construção e momentos de troca.

b) Roupas – Usar roupas leves, confortáveis, sempre que for possível, orgânicas (claro que nem todos tem acesso a este mercado). O que procuro sempre é evitar tecidos sintéticos, oferecendo conforto e consciência desde cedo. O vestir é uma boa oportunidade de compartilhar com seus filhos a criatividade e o consumo consciente. Combinação de peças, cores e customização de outras… Além de momentos prazerosos entre mãe e filho, você estará plantando sementes lindas no coração dele. Assim construímos histórias…

c) Brinquedos – Valorizar brincadeiras que estimulem a interação com o próximo e com a natureza usando folhas, pedrinhas, conchas, gravetos, algodão, madeira (elementos da natureza) para criar brinquedos e brincadeiras. A reciclagem é uma ótima atividade para desenvolver com os filhos e seus amiguinhos. Criar uma relação saudável de consumo em relação aos brinquedos é muito importante! Quem tem tudo pode não conseguir valorizar tudo o que tem. Estimular a doação de brinquedos pouco usados para creches e orfanatos. Se possível visitar esses locais estimulando assim a inclusão e o compartilhar.

d) Ensinar aos pequenos a cuidar do seu espaço, usar e guardar, cuidar de seu lixo… Quando passamos pela rua e vemos adultos jogando lixo de dentro do carro minhas filhas (8 e 6 anos) ficam perplexas! As “Mães Ecológicas” São formadoras de hábitos bons e saudáveis.

e) Se não for possível usar cremes, loções e shampoos orgânicos nos pequeninos, procurar linhas infantis menos agressivas, delicadas. Muitas marcas aqui no Brasil já produzem produtos infantis com ingredientes da natureza – mel, calêndula, camomila.

E o meu maior presente nesse domingo (uma data que deve ir além da pegada comercial)? São elas! Orgulho-me dos resultados construídos através de uma relação de proximidade, diálogo e atividades que incentivam a educação ambiental e a inclusão, além de construir momentos especiais. Eu poderia fazer uma matéria com dicas de presentes sustentáveis… Porém, acredito que o maior presente para qualquer mãe é sé engajar para obter um mundo melhor para seus filhos e, principalmente através de seus filhos.

Feliz dia das mães!

Sobre o Autor: Lu Jordão ( @lupjordao | G+ )

Site: http://www.duasmodaearte.com.br - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário