• FEED

Jeans e Meio Ambiente – Moda Consciente, saiba como sua produção afeta a natureza


É com grande prazer que anuncio a nossa nova colunista a Lu Jordão. Editora do excelente e um dos meus blogs preferidos Duas Moda e Arte a Lu vai trazer semalmente informações bacanas sobre moda sustentável e moda inclusiva. Muito bem vinda Lu! Para estrear com o pé direito uma matéria super completa sobre o jeans e o meio ambiente.

O Jeans e o Cenário da Moda Atual

Quando falamos em sustentabilidade e consumo consciente precisamos pontuar que comprar um produto é muito mais do que aquilo que estamos adquirindo. É uma urgência prestar atenção nos valores que estão por trás das mercadorias que compramos. E deve ser assim para tudo o que consumimos.O que seria a moda sustentável, como defini-la? Responder a essa pergunta é tarefa complexa e, temos que pensar em todo o processo de produção da indústria da moda, na utilização de materiais orgânicos e valorização de mão de obra local.

O processo de fabricação de apenas uma calça jeans consome quantidade de água igual a que uma pessoa precisa para viver durante um ano.

Para que o seu jeans seja sustentável de verdade, ele deve ser feito com algodão orgânico e para produzi-lo é necessário evitar o seu contato com produtos químicos e substâncias tóxicas. Entendam bem, não temos condições hoje, diante do cenário atual, de nos negar a usar a moda “não orgânica” (se assim podemos chamar…). E não é nossa proposta um boicote louco, inflexível e nada inteligente. Nossa única intenção é ter registros da situação real. Informação clara e séria que leva à reflexão. Reflexão leva a mudança de hábitos. E, mudança de hábitos é a única saída para nosso planeta, uma vida saudável para nossos filhos e nossos netos…

Certamente há uns três anos atrás eu não tinha essa inquietação ou noção do que havia por trás das roupas que eu comprava… E talvez ainda não tenhamos uma noção real da história de cada marca onde compramos… O controle ainda é praticamente impossível. Saber se uma empresa tem um processo industrial correto, com tecidos orgânicos, processo de tintura correto sem desprezo irresponsável no meio ambiente, valorização de sua mão de obra com respeito às leis trabalhistas, não utilização de mão de obra infantil e programa de aproveitamento de resíduos, não é tarefa fácil… Como consumidores ainda não temos estes dados ou mecanismos claros e eficazes de fiscalização para controle e decisão de “usar” ou “não usar”. Atrevo-me a dizer “ainda” porque sinceramente, diante da quantidade de informações que estão circulando, diante da consciência dos consumidores e seu perfil exigente, o que há por trás da moda ficará mais claro dia após dia…


A busca por um Jeans Mais Sustentável

Vale destacar que é preciso ter atenção quanto à certificação do algodão utilizado nos jeans. Esta postura torna-se “moda” ou “moda leviana” quando alguns empresários colocam etiquetas de produto orgânico, mas ainda utilizam algodão com emprego de agrotóxico para rápido crescimento ou, fibras sintéticas misturadas ao mesmo sem informar o consumidor.

Além disso, para ser sustentável mesmo, a mão de obra precisa ser remunerada de acordo com as leis trabalhistas bem como toda a parte de segurança do trabalho (EPI) e bem estar social, devem ser observados. Em relação ao tingimento, deve ser feito com coloração natural e as lavagens das calças devem ser feitas sem produtos químicos. Dessa forma pode-se implantar sistema de reaproveitamento da água empregada nas lavagens.

O programa de reaproveitamento ou reciclagem de todos os resíduos desse processo também é muito importante ou, gera-se lixo têxtil, um dos grandes agressores do meio ambiente. Para finalizar, o design deve ser objeto de desejo, fugindo do fantasma do “ecologicamente correto, porém, nada fashion ou brega, cafona, tortinho…”

O jeans é verdadeiramente sustentável quando:

  • É feito com algodão orgânico e certificado ou, com reaproveitamento de jeans já existente no mercado;
  • Mão de obra remunerada de acordo com as leis trabalhistas e atenção à segurança do trabalho;
  • Tingimento é natural;
  • Programa de reaproveitamento da água utilizada na lavagem que, para isso deve ser sem produtos químicos;
  • Programa de reciclagem de resíduos, reduzindo quase em sua totalidade o lixo têxtil. Para que o produto chegue perfeito e desejável às prateleiras, deve ter um design interessante. Todo o processo de produção deve obedecer à legislação e às normas ambientais, buscando como complemento o melhor aproveitamento no uso de recursos naturais e a preservação da natureza e da biodiversidade.

Tingimento Natural: Para quem quer entender um pouquinho mais, as tinturas químicas que agridem profundamente os rios, no processo sustentável são substituídas por corantes naturais. Podemos citar como exemplo o cultivo sustentável da anileira, fonte de índigo natural (o azul vegetal) e o cultivo de alfafa, aveia e trigo que são fontes de clorofila, o pigmento verde.

Bom exemplo:

Na Holanda, a marca Kuyichi já consegue produzir uma linha de jeans 90% orgânica em larga escala. A marca conseguiu alterar praticamente toda a sua produção com adequação às necessidades do meio ambiente, diferente de outras marcas, que investem somente em linhas de jeans orgânico e por coleção. Seu jeans é resultado de algodão natural plantado e produzido com técnicas artesanais por índios do Peru, sem a adição de agrotóxicos ou de fibras sintéticas.

Quanto custa fazer uma moda correta? Essa é a questão… Quando os custos de um processo correto concorrem com os custos de fast fashion (que não tem seus produtos gerados dentro de uma cadeia sustentável por consequência da celeridade para atender a demanda de muitas coleções e no menor custo possível) o valor assusta. Uma calça da Kuyichi custa em torno de 150 euros (R$ 333,00). Porém, se compararmos isso a uma calça de grife (que quase sempre é fabricada sem a preocupação ambiental ou social), o valor torna-se mais real. Vale a reflexão: ao comprar um jeans por  R$ 69,90, quem financia a diferença é o meio ambiente e a mão de obra explorada. É extremista? Sim! Mas, real. Podemos mudar instantaneamente? Não!  Porém, podemos questionar e mover para que as mudanças na indústria da moda sejam pensadas

Empresas que já trabalham com Jeans Ecologicamente Corretos:

A Tristar, uma empresa familiar do Rio de Janeiro, tem o jeans feito com algodão e tingimento orgânicos.  Para ser limpo nada de água e sabão! Segundo a marca, 24 horas na geladeira ou freezer, matam as bactérias. O jeans sustentável ainda é dupla face, permitindo variações e consumo consciente. Um short e uma calça, ambos dupla face, foram produzidos dentro do total conceito de sustentabilidade. A Tristar fornece o tecido para diversas marcas no Brasil e no exterior. A idéia da marca carioca surgiu em uma feira de Berlim voltada para sustentabilidade. O tecido da Tristar é resultado do plantio de algodão em uma área preservada durante cinco anos, o que dispensou o uso de agrotóxico. Todo o processo foi comandado pela Santista Indústria Têxtil, de São Paulo.

A Tavex Corporation fabricante do tecido Bio Denim, que substituiu seus processos químicos por naturais em toda a linha de produção do produto.  Um amido natural de batata foi usado no lugar da goma sintética e nos processos de lavagem e tingimento, a manteiga de cupuaçu foi utilizada como amaciante natural, resultado de uma parceria com a  comunidade da Amazônia. A extração é feita por 700 famílias, o que movimenta recursos na região, atendendo as necessidades das famílias locais. O acabamento produzido com algodão reciclado e, feito exclusivamente com fibras e fios reaproveitados do próprio processo industrial. Além do Bio Denim, 75% dos ‘denins’ produzidos pela Tavex já recebem este acabamento, o que demonstra adequação da indústria ao meio ambiente. O lançamento do Bio Jeans foi feito pelo estilista brasileiro Carlos Miele, através da Miele Jeans em Nova York.

A Eden Organic é outra marca brasileira de São Paulo, que assiste 200 famílias no campo, produtores de algodão 100% orgânico. A marca desenvolve os princípios da sustentabilidade na indústria e em toda sua cadeia produtora. Os produtos têm um design extremamente estiloso.

Algumas marcas não adequaram toda sua produção, mas já criam linhas de jeans orgânicos. Uma delas é a Diesel que criou a linha “Pure Organic”, feita em algodão natural, e segundo eles, sem utilização de nenhum processo químico em sua produção. A Levi’s criou a linha Levi’s Eco, produzida com algodão 100% orgânico e certificado. Saiu na coleção passada. Agora em agosto, tentei achar aqui no Rio de Janeiro e não consegui.

Conclusão

Concluímos que, ao falar em moda, além de todo o exposto acima, as RELAÇÕES DE TRABALHO JUSTAS devem ser uma realidade. Todos os envolvidos na produção de uma roupa devem ser valorizados. O estilista tem todos os seus méritos e imensurável valor como criador, mas seu produto final terá muito mais valor agregado se o agricultor que plantou o algodão e a costureira que executou a peça também forem reconhecidos. As três partes merecem condições de trabalho e salários justos. Isso é dignidade social… É o lado da sustentabilidade que vai junto com a preservação ambiental. Para isso torna-se necessária a organização objetivando a produção local, diminuindo ou anulando o ato de importar material e mão-de-obra, o que alimenta a prática da mão de obra com preços injustos e vergonhosos. Assim, a indústria contribui para o desenvolvimento de sua própria região. Sempre, ao final de cada matéria faço questão de registrar que a moda tem dois grandes e urgentes desafios: a sustentabilidade e a inclusão – uma moda para todos.

E se você conhece outras marcas de jeans orgânicos, compartilhe os links conosco!

Por Lu Jordão Duas Moda e Arte

Sobre o Autor: Lu Jordão ( @lupjordao | G+ )

Site: http://www.duasmodaearte.com.br - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Pingback: Novidades! « Duas – Moda e Arte()

  • Isso aí Lu! matéria super bem pesquisada, perabéns pela coluna!!! Infelizmente o que nos mata na cadeia de produção é realmente a competição desleal que nós, que procuramos fazer tudo “certinho”, temos com grandes empresas trabalhando discretamente na ilegalidade. Quem compra em lojas com preços super ‘bacanas’, geralmente está financiando empresas que trabalham com exploração de mão de obra barata e ilegal. É difícil um pequena empresa ser totalmente sustentável, mas podemos fazer o melhor possível! beijokas!!

  • Elô! Grata pela visita e pelo comentário que agrega valor ao post e mostra a realidade do mercado. A reflexão é a grande base da mudança. Um consumidor consciênte é a chave para evitar a exploração da mão de obra e a degradação do meio ambiente. Informação clara e séria veiculando… Nunca falou-se tanto em sustentabilidade e comércio justo como agora… A palavra é “adequar”! Esse é o novo desafio da indústria da moda – harmonia com o meio ambiente e inclusão. Beijo grande pra vc e para as outras irmãs super poderosas da Santa Saia!!

  • Gui Harrison

    Interessantíssimo esse artigo. Mas será que a decisão de comprar produtos sustentáveis deve realmente provir do consumidor?
    Estudo design e estou elaborando um trabalho na universidade que condiz exatamente com este tema. Muitas pessoas têm consciência de economizar água em casa, mas isto é só a ponta do iceberg.
    Quem puder ajudar na minha pesquisa ficarei imensamente satisfeito: http://www.surveymonkey.com/s/7WM5RY7

  • Ola Gui, que bacana o seu trabalho, parabéns pela iniciativa.
    Acabei de responder a pesquisa e vou divulgar aqui no blog e Twitter =)
    Depois você compartilha conosco o seu trabalho?
    Abraços

  • Gui Harrison

    Com todo prazer, chará. Fico muito contente com sua ajuda, já deu resultados. Além de você, mais duas pessoas já preencheram o formulário.
    Realmente ganhei meu dia. Obrigado!

  • Olá,

    Parabéns pelo artigo, o tópico é excelente! Vamos divulgar seu conteúdo na área de links do nosso website, veja após a meia noite:

    http://www.todoespacoonline.com/links/

    Sempre que quiser, envie seus links para nós, será um prazer divulgar seu blog:

    http://www.todoespacoonline.com/links/envie_seu_link.php

    Grande Abraço!

  • Bacana, fica a sugestão de vocês criarem uma seção de Ecologia / Meio
    Ambiente seria super bacana.
    Abraços

  • Aledearaujo

    Vocês conhecem o Jeans Covolan? Pois é, esta empresa atua há 4 anos com ações sérias voltadas ao meio ambiente, eles são certificados por orgãos nacionais e internacionais, receberam premios da Fiesp (Reuso de água) e como tecelagem estão indo além na verticalização de seus processos focando o cuidado com o meio ambiente, vale a pena conhecer.

  • Muito bacana a marca! Estilo lindo. Fica a o site pra quem quer conferir: http://www.covolan.com.br/home.html
    A Covolan originou-se em SP e existe também em PE. Trabalha com programa de reciclagem de fios e tecidos (Projeto Recicla Jeans) e faz o tratamento dos efluentes no “reuso da água”. Show!! Obrigada pela contribuição. Abraços!

  • Glauce Borges

    Muito bom o texto, me fez refletir sobre o consumo consciente do jeans também. Acho que vale a pena pagar mais para se ter um produto de qualidade e que seja menos agressivo ao meio ambiente. Muitos pagam mto mais por causa da grife mas acham absurdo pagar por motivo ecológico.

  • Mario Santos

    Oi pessoal, gostei muito da matéria.
    O consumo de roupas é um universo ainda pouco pensado na hora da reciclagem e sustentabilidade. Quem convive com o universo das confecções de todas as classes sociais, sabe que a preocupação com o meio ambiente é quase inexistente, a pressão por vendas e entregas no prazo deixa em último plano a questão ambiental.
    Fora isso, depois que todos compraram e se encheram de roupas da moda, o que vão fazer com elas depois que”a moda passar”?
    Para onde vão os tecidos mistos com Poliester, poliamida, corantes, nylons, etc?

  • Ola Mario, ótimo comentário.
    Você tem razão, um dos grandes problemas é esta pressão fortíssima imprimida
    pelos grandes varejistas que exigem uma moda rápida e barata e quem acaba
    pagando é o meio ambiente e as milhares de pessoas que trabalham na cadeia
    têxtil, é algo triste e muito ruim para todos nós. E é verdade, para aonde
    vão estas milhares de roupas que deixaram um rastro ambiental destruidor?
    Provavelmente irão lotar os lixões ao redor do mundo ou flutuarem poluindo
    os mares, até mesmo o comércio de roupas de segunda mão que custumava
    reaproveitar as peças esta recusando estas peças por possuirem baixíssima
    qualidade.

    Cabe a nós iniciar um movimento por uma nova maneira de encarar a moda e
    literalmente vestir a camisa por um mundo melhor.

    Abraços Mário e obrigado pelo comentário

  • Maysa Gadelha

    Cara Lu…para fazer mais justiça ainda à sua interessantíssima matéria, só faltou citar a coopnatural, que através de um esforço sobrenatural produz roupas eco-sociais e orgânicas.

    bjs e grata

    Maysa

  • É que a Coopnatural merece um post especial né Maysa? =))

    Recomendo!!!

  • Cadoubek

    Muito interessante a matéria. Acredito que faltou comentar que a fase mais impactante do ciclo de vida de um produto textil é a fase de USO. Isso mesmo, é nas mãos do consumidor que o ônus ambiental é mais pesado. De nada adianta comprar uma calça ultra-sustentável caríssima e lavar sem necessidade, secar em secadora, usar produtos tóxicos e por aí vai. A análise do ciclo de vida é fundamental quando se fala em eco moda.

    Camila S. Doubek Lopes, profa. Me. de Ecodesign de Moda da Universidade do Senac. 

  • Obrigada pela contribuição Camila! Muito significativa a observação…. Lavar sem necessidade é um hábito que precisa ser revisto, bem como os produtos empregados e a vida útil do que vestimos… Toda uma cultura de relação com consumo que precisa ser trabalhada diariamente, né?! 

  • Cleide Dias

     ADOREI ESSA MATÉRIA SOBRE SUSTENTABILIDADE
    ME AJUDOU MUITO A FAZER UM TRABALHO DA MINHA FACULDADE

  • Gostei da matéria, mas sendo eu Técnico Químico e trabalhador da area de beneficiamento de Jeans, em contrapartida Lavanderia. Não vi nenhuma citação a respeito dos processos para beneiciamento de peças prontas no jeans, tais como lavagens diferenciadas, uso de descolorantes, reagentes e toda a linha de processos artesanais que ao meu ver deixa uma peça de jeans ainda mais competitiva e melhor preço de venda no mercado. Tenho consciencia e apoio essa causa, mas nao se deve esquecer que a grande maioria da população ainda nao conta com um poder aquisitivo compra para obter uma peça sendo ela totalmente organica. Por isso vem a busca pelo mais em conta e nao pelo ecologicamente correto.

  • Emilia Moreno

    SIM para o algodão Orgânico e SIM também para os tecidos feitos 100% com matéria prima reciclada, como o Denim Color Zero Água da Etex, ganhador do prêmio Greenbest na categoria Material Inovador.

    Não utiliza água em seu processo produtivo, nem qualquer tipo de tingimento ou goma. .

    Vale á pena conhecer
    http://www.etexecologica.com.br

  • gustavorps

    Muito interessante! Parabéns pelo post. Gostaria ver mais coisas sobre roupas ecológicas por aqui, gostei muito da matéria sobre cintos feito de cinto carro.

    Já tem um tempo que tenho a curiosidade de saber quais são as marcas/produtos com maior durabilidade (principalmente jeans) e que estão testando a contra-mão da obsolência-programada.
    Tem algum fórum, grupo de discussão, mailing list sobre os assuntos que você possa me indicar?

  • gustavorps

    Olá João!
    É possível realizar processos que aumente a vida útil jeans? De preferência custo x ecológico.