Nadia Cozzi

A magia da cozinha – A relação de amor e carinho com a alimentação

28 abr 2011 - Por em Saúde e Alimentação

A leitura do livro “Amor se faz na Cozinha” de Márcia Frazão, uma maga declarada, reforçou minha idéia de que cozinheiros e magos tem muito em comum.

Ela escreve: “Foi na cozinha que se preparou a atmosfera dos romances que hoje estampam os livros de História,
… foi em meio às panelas e ao fogo que os banhos de Cleópatra se tornaram famosos ao longo dos séculos e objeto de desejo de cada mulher do planeta.
… Foi na cozinha que se elaborou o filtro de Tristão e Isolda
…e foi também lá que se temperou a maçã da Branca de Neve. E por falar nessa maçã, devo dizer que a sua receita foi muito mal entendida pelos livros de histórias, esquecendo-se de que aquela maçã, um fruto reluzente como os lábios de uma virgem, dera juventude eterna à Branca de Neve e, de quebra, um amor que durou para sempre.

Eu acrescentaria ainda que é na cozinha que a Mãe Natureza concretiza seu Ciclo Energético, unindo e harmonizando os três elementos: terra, água e fogo, despertando os cinco sentidos e fortalecendo os elos de quem compartilha de uma mesma vida, de uma mesma família.

Na sociedade atual esses elos estão enfraquecendo, as crianças e os jovens perderam esse encanto, essas lembranças felizes à volta de uma mesa. As preguiçosas manhãs de domingo, os sons vindos da cozinha, a briga entre a cama quentinha e o cheirinho irresistível de café, muitas vezes moído na hora. O pão crocante envolvido docemente pela manteiga derretida.

Sentados à mesa, família reunida, uma tagarelice sem fim. Donos do tempo, afinal é domingo! Ali ficavam, sem pressa, curtindo o momento. Envolvidos pela atmosfera de carinho, até as ranhetices entre os irmãos faziam parte da cena.

Como esquecer os bolinhos de chuva salpicados com açúcar e canela? A magia das panquecas que vovós ou titias malabaristas viravam com toda a maestria? Lembranças e sensações perdidas pela maioria das crianças de hoje.

Pensando nessa perda que eu considero irreparável na formação das pessoas, quero esta semana trazer algumas receitas das nossas avós, transformando sua execução para a nossa época carente de tempo e ansiosa por agilidade.

Queijadinhas

  • 2 gemas tipo caipira
  • 1 xícara (chá) de coco fresco ralado
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher (sopa) de queijo parmesão ralado na hora

Modo de Preparar:
1. Misture bem todos os ingredientes no liquidificador.
2. Despeje em forminhas de papel que devem estar dentro de forminhas de empada.
3. Leve para assar em forno médio até estarem coradinhas.

Curau de Milho Verde Rapidinho

  • 3 xícaras (chá) de leite fresco
  • 6 espigas ORGÂNICAS raladas e peneiradas ou 2 latas de milho conservado no vapor
  • 1 colher de sobremesa de manteiga
  • 1 lata de leite condensado
  • Canela para polvilhar.

Modo de Preparar:
1. Bata no liquidificador o leite com as espigas raladas.
2. Passe na peneira e despeje numa panela, junte a manteiga e leve ao fogo, mexendo sempre, até ficar cremoso.
3. Acrescente o leite condensado e mexa por mais 5 minutos.
4. Coloque em tigelinhas pequenas e polvilhe com canela.
5. Sirva frio ou gelado.

Bom-Bocado de Queijo

  • 4 ovos tipo caipira
  • 1 vidro de leite de coco (veja o que tem menos aditivos químicos ou bata o coco no liquidificador e coe o leite).
  • = medida de leite
  • 100 grs. de queijo parmesão ralado na hora
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 pitada de sal marinho
  • 3 xícaras (chá) de açúcar ORGÂNICO
  • 1 colher de café de baunilha
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo orgânica
  • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó

Modo de Preparar:
1. Bata tudo no liquidificador, por último misture a farinha e o fermento.
2. Asse em forma untada e polvilhada com farinha.
3. Está pronto quando se coloca um palito e ele sai sequinho.

Bom-Bocado de Coco

É a mesma receita substituindo-se o queijo pela mesma medida de coco ralado fresco.

Bolo de Fubá

  • 4 xícaras de leite fresco
  • 3 ovos tipo caipira
  • 3 xícaras (chá) de açúcar ORGÂNICO
  • 1 ½ xícara (chá) de fubá ORGÂNICO
  • 1 ½ colher (sopa) de farinha de trigo ORGÂNICA
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • ½ xícara (chá) de queijo ralado na hora

Modo de Preparar:
Bata tudo no liquidificador menos a farinha e o fubá. Despeje em uma tigela e misture as farinhas delicadamente. Coloque em forma untada e polvilhada com farinha e asse em forno quente.

Para estas receitas o forno deve estar pré-aquecido, criando um ambiente acolhedor e propício ao crescimento, similar à barriga de uma mulher grávida.

Teríamos muitas outras lembranças: quindins, queijadinhas, panquecas, bolinhos de chuva, pé de moleque, paçoca, doce de abóbora, isso só para falar dos doces. Mas, vamos deixar essas para outra história. E como se dizia antigamente… Entrou por uma porta, saiu pela outra e quem quiser que conte outra.

A Culinária é uma arte, desperta a criatividade, desenvolve o respeito e amplia o amor. Exercite essa arte e experimente a sensação de interferir no destino das pessoas através dos seus sabores e aromas. A recompensa está em ser lembrada por isso eternamente.

Fotos: Lovecats2006 | Hisks | KimberlyD

Sobre o Autor: Nadia Cozzi ( @nadiacozzi | G+ )

Nadia Cozzi

* Consultora de Alimentação Consciente e Desenvolvimento Pessoal. * Pesquisa desde 1994 a Agricultura livre de Agrotóxicos e o Ato de se alimentar e a Consciência de quanto ele interfere na Saúde Física, Emocional e Mental do Ser Humano e os efeitos da produção de alimentos para o Meio Ambiente. * Idealizadora do Instituto Pedro Cozzi - Espaço DAR VIDA – (institutopedrocozzi.blogspot.com.br) * Livros sobre uma nova consciência ecológica: (http://alimentopuro.synthasite.com/livros.php) * Blogs: Alimento Puro: alimentopuro.blogspot.com Bio Culinária: bioculinaria.blogspot.com

Site: http://alimentopuro.synthasite.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • http://twitter.com/lupjordao duas moda e arte

    Amei a linha de raciocínio… Cozinhar é educar… Tenho duas menininhas e nos finais de semana é certo: As três na cozinha preparando as refeições! Depois que as envolvi no processo de preparar os alimentos percebi que elas se permitiram novas cores, sabores, aromas. Passaram a comer coisas que antes não comiam. É um ritual – preparar a mesa com muito carinho (e sempre com novidades) e sentarmos todos juntos para comer o que juntos preparamos. A cozinha ensina que nada vem pronto, que a vida em si é um processo de construção… Um laboratório! Experimentamos até acertar… Tenho em minha memória sabores e aromas da minha infância. Coisas que até hoje peço minha mãe para preparar (aos 30 e poucos anos…rsrsr)… Assim construímos nossa história. Quero que minhas filhas tenham esses registros! Identifiquei-me demais com o artigo. Lindo, importante, delicado! Parabéns!

  • Anônimo

    Obrigada pelos elogios, eu queria transmitir exatamente isso a importância do educar, do lembrar, do sentir. Obrigada de novo!

  • maurciio

    oi amiga eu amor eswa copa dea vovo

Mais em Saúde e Alimentação (56 de 60 artigos)