• FEED

Mariana Piccoli

Ecodesign: O que é e o que eu tenho a ver com isso?

17 fev 2012 - Por em Arte e Design

Um dos assuntos mais comentados nos últimos anos é, sem dúvida, o ecodesign (ou design ecológico, design verde, eco friendly design, projeto para o meio ambiente e suas variações). Você pode estar se perguntando: “mas afinal, o que é e porque eu deveria me interessar por isso?” Então, esse post é pra você. Vamos lá!

A partir de 1960 percebeu-se que o planeta possuía recursos finitos e que a produção e descarte dos produtos gerava degradação ambiental. Nos anos 90 surge o termo ecodesign para se referir ao método de projetar produtos industriais com pouco impacto no meio ambiente e adaptados ao uso consciente dos recursos naturais – ou seja, relacionando aspectos de projeto e produção com a ecologia – sem invalidar a funcionalidade e utilização dos produtos.

Para caracterizar um produto como fruto de ecodesign podem ser utilizadas várias abordagens, que se referem à produção, ao tipo de material utilizado e até ao método de descarte. Reduzir, reutilizar, reciclar, aproveitar fontes alternativas de energia e produzir sem excessos são algumas dessas abordagens.

Podemos listar algumas das premissas do ecodesign:

  • Privilegiar materiais que respeitem o meio ambiente, de procedência ecológica, reciclados, certificados, biodegradáveis, reutilizados, leves, locais, renováveis e abundantes.
  • Aumentar a durabilidade e eficiência do produto
  • Projetar visando a reutilização ou a reciclagem dos materiais e embalagens
  • Reduzir o mix de materiais, de preferência utilizando apenas um tipo
  • Facilitar a desmontagem, separação, reposição e conserto das peças
  • Produzir de forma mais limpa e segura, sem prejudicar o equilíbrio ambiental (de preferência, usando o ciclo fechado, onde os resíduos voltam para a indústria)
  • Eliminar o uso de substâncias nocivas na produção e utilização do produto
  • Projetar produtos atemporais (sem modismos), anti-obsolescência
  • Desenvolver produtos multiuso, que possam ser utilizados por vários usuários e em mais de uma função
  • Estabelecer um sistema de retorno do produto ao fabricante
  • Reduzir a energia gasta na fase de transporte, otimizando a quantidade de produtos transportados

Cada dia aumenta o número de empresas e designers que trabalham dedicados ao ecodesign. Mas devemos ficar atentos!

Devido à busca por produtos ecológicos, muitas empresas “mascaram” seus produtos, divulgando-os como se tivessem preocupação ecológica – quando na verdade, a intenção é somente mais lucro. Esta armadilha é comum, e sem a correta informação corremos o risco de cair nela.

E como fazer para descobrir empresas e produtos realmente verde?

Como consumidores, sabemos que um produto passa por diversas etapas até chegar a nossa cesta de compras. Porém, só temos acesso às partes “limpas” do processo. Vemos o produto na prateleira, escolhemos, compramos, usamos e colocamos na lixeira. Tudo o que vem antes (extração das matérias-primas, beneficiamento, transporte, produção) e o que vem depois (recolhimento do lixo, resíduos, aterros ou reciclagem) não está claramente visível.

Por isso, em primeiro lugar, devemos nos manter informados. Quando uma organização honesta divulga algum produto ou empresa, provavelmente suas ações são realmente envolvidas com o meio ambiente, e é possível comprovar isto. Desconfie das “inovações” e soluções mágicas, que não esclarecem exatamente em que ponto aquele produto ou serviço é ecológica. Onde estão as evidências do que é verdade ou não?

Como já aconteceu comigo, ao entrar em uma loja e ouvir a vendedora dizer: moça, essa bolsa é ecológica, é um lançamento! Digo um: ah, interessante… e porque ela é ecológica? Ela me olha, sem graça, e responde: é ecológica, não prejudica o ambiente! E a conversa encerra por aí (e é óbvio que eu não comprei a tal bolsa).

É muito fácil rotular algo e ressaltar suas boas características – mesmo que elas não existam. E é comum também existir um “selo verde” inventado ou uma palavra vaga, sem detalhes e explicações, como “amigo do meio ambiente”. Em outros casos se ressalta um atributo ecológico mínimo, quando todo o resto é sujo.

Há também outro caso que gosto de citar: uma grande rede de supermercados iniciou uma campanha de marketing, mostrando o quanto eram ambientalmente responsáveis e preocupados com a natureza. Ao entrar em uma das suas lojas, precisei embalar minha bolsa em um enorme saco plástico, que foi rasgado e descartado no momento em que deixei o local. Como assim???

Por isso: pesquise, converse com pessoas de confiança, e peça explicações. Afinal, nosso papel como consumidores conscientes é procurar sempre a melhor opção – mostrando para as empresas que o ecodesign não é apenas uma moda. Lidando com os problemas de forma coletiva e interligada, a chance de sucesso é maior. Afinal, todos nós temos uma parcela de culpa no processo de destruição do planeta.

Algumas atitudes práticas que podem ser tomadas:

  •  Busque os “fabricados no Brasil”. Artefatos de produção nacional valorizam a economia local e geram menos poluição no transporte.
  • Evite utilizar produtos descartáveis, como copos e talheres de plástico. Você usa por 5 minutos, e eles demoram centenas de anos para se decompor.
  • Valorize as ações honestas que buscam a preservação ambiental e a geração de renda para comunidades. Apesar de algumas vezes ser mais caro pagar por produtos ecológicos, há um motivo para isso. Geralmente são produzidos em menor quantidade, com melhor qualidade e utilizando materiais de baixo impacto, o que aumenta o preço.
  • Da mesma forma, prefira pagar mais por produtos duráveis e atemporais do que pouco por algo que vai estragar logo ou sair de moda rapidamente. Isso vale para roupas, sapatos, brinquedos, móveis… Pense e avalie bem o que vai levar para casa.
  • Opte por produtos feitos com matéria-prima renovável, reciclada ou reutilizada, ou com selos de certificação reconhecidos.

Não são nossas pequenas atitudes que irão trazer grandes resultados – mas é um começo. É preciso um esforço conjunto, para que muitas pessoas se conscientizem que as escolhas, de forma coletiva, podem repercutir em grandes mudanças. Mas de qualquer forma, não existe o produto perfeito: qualquer produção irá gerar danos ambientais, maiores ou menores.

Divulgue, informe-se, aprenda e ensine! É através da colaboração que as boas ideias são difundidas. Conhece alguma empresa ou associação que desenvolve produtos baseados em ecodesign? Mande pra gente!

Fotos: ONM /Sutmundo

Sobre o Autor: Mariana Piccoli ( @MariPPiccoli | G+ )

Mariana Piccoli

Apaixonada por reutilização e novos usos para velhas coisas. Designer de produto pela Universidade Federal de Santa Maria (RS) e mestranda em Design na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Site: http://www.facebook.com/marippiccoli - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • parabéns Mariana!!! =D ótimo artigo, muito bacana!!!!

  • Fernanda Tamaio

    Oi Mariana,

    Gostei bastante do artigo. Vou compartilhar com meus amigos designers. Tenho esta motivação, de contribuir com o que eu puder, para com a vida existente em nosso planeta.

  • Muito obrigada a todos que leram, gostaram e compartilharam! O apoio é muito importante para novos profissionais de todas as áreas.

  • muito bom !!!!!!!!!