• FEED

Nadia Cozzi

Por que comemos com pressa, sem prazer e consumimos alimentos que nos fazem mal?

24 jun 2011 - Por em Saúde e Alimentação

Como o tempo passa! O dia deveria ter 48 horas! Você já reparou que a cada ano o tempo anda mais rápido? E assim, passamos o tempo todo lutando contra o tempo, falando do tempo e perdendo tempo! Tentamos esticá-lo, fazemos listas de prioridades para otimizar nosso dia. Mas desde que o tempo é tempo o dia tem 24 horas.

Priorizamos o emprego, as tarefas, a condução, a ginástica e diminuímos cada vez mais o tempo da alimentação. Esquecendo que ela nos dá a energia para enfrentar o dia. Não fazemos só conosco, fazemos com os amigos, com o marido, com os filhos, com a família. A reunião e os bate papos ao redor de uma mesa estão cada vez mais espaçados, não dá tempo. Sabe como é a vida de gente “né”.

Para ganhar tempo temos que ser práticos, o jantar do marido fica no microondas assim ele mesmo esquenta e come … sozinho. As crianças se viram na cantina da escola e nós comemos de pé na cozinha ou na frente do computador.

A hora da comida foi reduzida a alguns momentos em que trituramos e engolimos coisas sem sabor, sem sentimento e sem energia

A indústria de alimentos se prevalece desse pensamento torto e “fabrica” cada vez mais produtos industrializados prontos, semi prontos, enlatados, congelados, higienizados, uma verdadeira linha de montagem. A hora da comida foi reduzida a alguns momentos em que trituramos e engolimos coisas sem sabor, sem sentimento, sem energia.

Sem sabor? Ah, me desculpem eu errei. Tem sabor até demais. Os produtos industrializados costumam vir com uma quantidade enorme de sódio, açúcar e mais os aditivos químicos realçadores de sabor (Glutamato Monossódico). Isso compromete o nosso paladar e impede que as pessoas conheçam os sabores reais dos alimentos. Tudo tem o mesmo sabor da sopa ao refogado.

Propaganda enganosa na Televisão?


Aproveitando-se desse momento “emburrecido” da sociedade assistimos na TV uma propaganda onde se compara uma marca de maionese industrializada com o azeite. Isso mesmo, aquele azeite extra virgem, que faz bem para a saúde, que é um alimento especial, etc, etc, etc. Segundo a propaganda dá na mesma ingerir a dita maionese industrializada e o azeite. Vamos ver os ingredientes de ambos?

Maionese Hellmann’s

Ingredientes:
Água, óleo vegetal, vinagre, amido modificado, ovos pasteurizados, açúcar, sal, suco de limão,acidulante, ácido lático, espessante, goma xantana, conservador ácido sórbico, sequestrante EDTA cálcio dissódico, corante páprica, aromatizante (aroma natural de mostarda) e antioxidantes ácido cítrico, BHT e BHA. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Azeites

Azeite Extra Virgem Native Orgânico
Ingredientes: Azeite de oliva extra virgem. Acidez: 0,2%. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Azeite Português Extra Virgem GALLO
Ingredientes: Azeite de oliva extra virgem. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Azeite Português Extra Virgem Andorinha
Ingredientes:Azeite de oliva extra virgem.NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Fontes: Pão de Acuçar

Perceberam a quantidade de aditivos químicos presentes na maionese industrializada?

É um absurdo o que se faz com um consumidor desavisado. É um absurdo perder o cheirinho da comida que vem da cozinha, a água na boca ao ver aquele bolo saindo do forno, o companheirismo de uma criança que ajuda no preparo do lanche. A cumplicidade do marido que põe a mesa enquanto preparamos uma saladinha, que é rápida, mas saudável. Não se perde tempo, perdem-se coisas muito mais importantes.

Será mesmo que precisamos de tantos industrializados em nossa casa? Porque não oferecer frutas às crianças, elas já vem embaladas e dependendo da fruta, nem precisa ser descascada. As crianças de hoje não conhecem o sabor real das frutas, laranja tem sabor de Fanta, morango de bolacha recheada ou de iogurte. Aliás vocês viram um estudo falando que os sucos industrializados tem apenas 1% de fruta em sua composição? As fotos são lindas, o apelo é para o saudável e natural.

É hora de priorizarmos o que é realmente importante

Ter tempo para escolher os alimentos, sentir o perfume das frutas, o frescor das verduras, preparar com prazer as refeições da família e de preferência promover a participação de todos nessa tarefa. Garanto que ao sentir o cheirinho do azeite em um refogado ninguém mais vai acreditar nessa propaganda da Maionese. A Vida é muito mais do que apenas cumprir horários.

Domingo à noite estava assistindo o Café Filosófico na TV Cultura e ouvia Ricardo Guimarães, Consultor de Branding falando sobre o consumo. “Nos dias de hoje a sedução para o consumo é enorme. Com tantas propagandas, ofertas de produto e facilidades de pagamento fica cada vez mais difícil determinar o que de fato precisamos ter pra viver. Por outro lado, a preocupação com o Meio Ambiente, com os recursos naturais, com a enorme quantidade de lixo que produzimos, tem nos colocado para pensar sobre o modo como consumimos. Ter ou não ter? Esta passou a ser a questão do nosso tempo.”

Segundo ele a Sociedade passa por um processo de humanização, as máquinas fazem o que é preciso, ao Ser Humano caberá criar, se divertir, intuir, poetar, produzir conhecimento. É para isso que estamos caminhando. Temos um potencial de satisfação e de usufruto do prazer. Na hora que o consumo fica só no físico, vira vício, passa a ser predatório. Seu afeto não está pedindo aquilo, aliás ele nem foi considerado, na realidade você está se auto destruindo.

E ele termina dizendo que a Expansão da Consciência nos revela o contexto de onde viemos e para onde estamos indo. Ela nos dá mais significado e prazer. Sem significado o consumo vira predatório. Quem quiser saber mais acesse Café Filosófico – Consumo predatório ou consciente?

E para terminar esse nosso papo que tal uma comemoração para a Hora do Planeta que será neste sábado, dia 31 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes e participe, mas antes prepare as velas e faça dessa hora um encontro com a família ou com aquele ser especial que divide a vida com você.

Azeite ao manjericão

E já que falamos no azeite experimente este molho com o sabor marcante do Manjericão. Pode ser servido em torradinhas, em um bom pão italiano ou para temperar a sua salada favorita. Num macarrão também deve ficar gostoso.

Ingredientes:

  • 1 xícara de azeite extra virgem
  • ½ xícara de folhas de manjericão
  • 1 colher de sobremesa de pimenta-do-reino preta levemente amassada
  • 3 dentes alho descascados e sem aquele filamento do meio que amarga o molho.

Modo de Preparar:
Coloque tudo em uma tigela e amasse delicadamente o alho e as folhas de manjericão para que soltem o sabor. Deixe descansar por 3 dias em um lugar fresco. Coe e guarde em um pote de vidro fechado.

Bolo de Maçã com azeite

É o azeite também pode ser usado no lugar da manteiga em doces.

Ingredientes:

  • 2 xícaras e ½ de farinha de trigo orgânica
  • 2 xícaras de açúcar orgânico, se preferir use mascavo ou rapadura ralada
  • 1 xícara de azeite extra virgem
  • 1 xícara de água
  • 2 ovos tipo caipira grandes
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 3 maçãs orgânicas picadinhas e com casca( se não forem orgânicas, descasque)
  • ½ xícara de uva passa sem caroço
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de Preparar:
Em uma tigela misture tudo menos o fermento. Coloque numa forma untada e enfarinhada. Leve para assar. Faça o teste está pronto quando espetar um palito e ele sair limpo. Cubra com uma calda de chocolate.

Calda: 3 colheres de sopa de leite, 1 xícara de açúcar orgânico e 1 colher de sopa de cacau em pó. Leve ao fogo e quando ferver jogue por cima do bolo ainda quente. Quando a calda esfriar ela fica meio que marmorizada.

A canela faz com que as pessoas se olhem nos olhos e o cacau aproxima corações, bem adequado à Hora do Planeta não acham?

Fotos:johnnyberg / metrovista / Ayla87 / porcn001

Sobre o Autor: Nadia Cozzi ( @nadiacozzi | G+ )

Nadia Cozzi

* Consultora de Alimentação Consciente e Desenvolvimento Pessoal. * Pesquisa desde 1994 a Agricultura livre de Agrotóxicos e o Ato de se alimentar e a Consciência de quanto ele interfere na Saúde Física, Emocional e Mental do Ser Humano e os efeitos da produção de alimentos para o Meio Ambiente. * Idealizadora do Instituto Pedro Cozzi - Espaço DAR VIDA – (institutopedrocozzi.blogspot.com.br) * Livros sobre uma nova consciência ecológica: (http://alimentopuro.synthasite.com/livros.php) * Blogs: Alimento Puro: alimentopuro.blogspot.com Bio Culinária: bioculinaria.blogspot.com

Site: http://nadiacozzi.yolasite.com - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Marcelo Terça-Nada

    Esse texto tem tudo a ver com o Slow Food. Você conhece?Vale a pena visitar e acompanhar o site do movimento no Brasil: http://www.slowfoodbrasil.com“O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1989 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food; ao ritmo frenético da vida atual; ao desaparecimento das tradições culinárias regionais; ao decrescente interesse das pessoas na sua alimentação, na procedência e sabor dos alimentos e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo. O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, conjugando o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta.”

  • NadiaCozzi

    Oi Marcelo, eu conheço o Slow Food e gosto muito da proposta. Veja o bate papo meu com a Cênia Salles falando exatamente sobre esse movimento. Um abraço.

  • Pingback: Por que consumimos alimentos que nos fazem mal? | CONTEM()