• FEED

Vanessa Mendes Argenta

Sistema automatizado coleta o lixo por tubulações subterrâneas

Cada brasileiro produz, em média, 1 kg de lixo por dia, gerando assim cerca de 200 mil toneladas de resíduos diariamente, fora os resíduos hospitalares, comerciais, entulhos das construções, etc. Todos os dias isso tudo é despejado nos aterros sanitários, em terrenos baldios, rios, córregos e no mar, sendo apenas uma pequena parcela reciclada ou mesmo utilizada para compostagem.

Além do excesso de consumo de materiais e da geração de lixo, há ainda outro problema a ser considerado: o recolhimento desses resíduos. O custo para manter caminhões de lixo, as más condições de trabalho dos lixeiros (ou coletores de lixo), o gasto de combustível fóssil, tudo isso torna esse sistema ainda menos sustentável!

Uma alternativa para solucionar esse problema já está sendo utilizada em algumas cidades da Europa: é o sistema de recolhimento automático de resíduos. Funciona como o sistema de esgoto, que recolhe os dejetos e leva para uma central de tratamento, ou, no caso, de triagem. Não há necessidade de uso de caminhões de coleta, pois os resíduos vão para a central através de grandes dutos subterrâneos. Os garis podem ser empregados nas centrais para fazerem a triagem dos materiais e a destinação para reciclagem.

Como funciona sistema de recolhimento automático de resíduos:

 

1. O lixo é separado (reciclável, orgânico ou dejeto) e colocado em sacos, que são levados a escotilhas instaladas nas ruas. Novos edifícios também podem tê-las internamente. Cores ou adesivos identificam a escotilha adequada para cada tipo de lixo.

 

2. Em horários pré-programados, válvulas e exaustores criam uma corrente de ar na tubulação. As comportas das escotilhas são abertas para que os sacos caiam na rede, instalada a dois metros e meio abaixo da superfície.

 

3. Correntes de até 80 km/h transportam os sacos e só um tipo de lixo percorre o tubo em cada momento. Variações na velocidade do ar indicam entupimento. A desobstrução é feita manualmente por um funcionário.

 

4. Os sacos são transportados até estações de coleta, que atendem a um raio de até dois quilômetros de distância. Lá, eles são armazenados em contêineres de acordo com o tipo de resíduo. Quando um contêiner enche, ele é acoplado a um caminhão e levado para centros de processamento públicos ou privados afastados da cidade, onde é feita a destinação adequada.

 

5. Vidro, plástico, metal e papel são reciclados. O orgânico pode gerar biogás e abastecer usinas elétricas. O restante é incinerado para gerar energia, ou aterrado. O processo é repetido de três a quatro vezes por dia. Caso uma escotilha fique cheia antes do previsto, sensores alertam a central para realizar coletas extras.

Assista o video abaixo mostrando de como funciona em Wembley, no Reino Unido (se você estiver lendo via RSS ou E-mail clique aqui para ver o video):

Vantagens e desvantagens do sistema

Vantagens:

  • segurança dos coletores de lixo, que não precisam manusear os resíduos;
  • limpeza das calçadas;
  • diminuição do mau cheiro nas ruas;
  • estímulo à reciclagem;
  • diminuição dos aterros sanitários, pois destina inclusive o lixo orgânico para produção de biogás;
  • ausência de sacos plásticos e resíduos entupindo bueiros e ocasionando enchentes.

Desvantagens:

  • alto custo de implantação;
  • necessidade de caminhões para transportar os resíduos das centrais para o destino final (compostagem, produção de combustível, reciclagem, etc.).

Acredito que o ideal seria ter pequenas centrais nos bairros, que recolhessem e processassem ali mesmo os resíduos, gerando empregos locais, produzindo materiais reciclados e combustível alternativo e construindo uma cidade mais sustentável.

E você acha que este sistema traria benefícios aqui no Brasil?

Edição do infográfico original de: Setor Reciclagem e Época Negócios
Links Externos: Experiência em Majadahonda – Espanha | Envac | Rosrosca

Sobre o Autor: Vanessa Mendes Argenta ( @vanmagenta | G+ )

Vanessa Mendes Argenta

Arquiteta e Urbanista

Site: http://www.flickr.com/photos/vanmagenta - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Realmente mto interessante essa idéia… Uma iniciativa que vale a pena ser pensada e implementada em algumas regiões do Brasil

    Valeu @vanmagenta por compartilhar esse matéria :-)

  • Bellacabana

    Sem dúvida!!!Esse sistema só traria benefícios principalmente a um país como o Brasil.Valeu Coletivo Verde!!Ótima matéria Vanessa!!!Bjão a todos.

  • Paulínia (SP) será a primeira cidade brasileira a implantar esse sistema: http://super.abril.com.br/blogs/ideias-verdes/paulinia-recebe-primeiro-sistema-subterraneo-de-coleta-de-lixo/

  • Van, precisamos saber mais detalhes, seria bacana irmos lá conhecer né?

  • Pacheco_adriana

    Me preocupo com a manutenção disso.

  • Ola Adriana é um ponto realmente interessante pra questionar.
    Será que o acesso pra reparos não é complicado? Precisa de máquinas/mão de obra especializada?
    Vou dar uma estudada pra saber mais! Se souber algo poste para debatermos juntos por aqui =)
    Abraços

  • Ygor Josias

    Um ponto que me preocupou foi quando ela falou: “é levado (o lixo) por empresas de coleta autorizadas”. Isso, aqui no Brasil, é realmente preocupante, pois já comecei a imaginar a ilegalidade, teria de haver uma forte fiscalização e, como estamos num país sem esse costume, acho que ficaria um tanto quanto “bagunçado”. Além disso, há a possibilidade de corrupção, de troca de favores para eleição dessas empresas autorizadas, assim como estamos acostumados a ver alguns flagrantes expostos na mídia.
    Fora isso, achei bem interessante o sistema, acho que poderia trazer muitos benefícios para a sociedade de um modo geral. Só pelo fato de reduzir as enchentes e estimular a reciclagem acho que vale!
    Um abraço, parabéns pela reportagem.