• FEED

Zilah Rodrigues

A sustentabilidade vai muito além da propaganda

13 out 2011 - Por em Vida Verde

Uma nova moda que parece tomar conta da publicidade mundial é a “reciclagem” de campanhas e peças publicitárias. A Nike já o fez a nível mundial e aqui no Brasil, podemos conferir o Banco Itaú também entrando na onda deste tipo de ação.

A Nike compilou dezenas de anúncios antigos, o que resultou em um novo comercial:

O Itaú seguiu a mesma linha, como podem conferir no vídeo abaixo.

Se você estiver lendo este artigo via e-mail ou RSS clique aqui para ver os videos.

Parecer verde a todo custo

A “reciclagem” de peças publicitárias não passa de mais uma jogada das empresas a fim de parecer sustentável a todo custo. Ao agir desta forma, as empresas podem enganar alguns consumidores desavisados mas, existe um grande público que está bem atento ao que não passa de um *greenwash escancarado.

O termo Sustentabilidade é altamente difundido atualmente, se deriva de outro termo também bastante conhecido, “desenvolvimento sustentável” e foi adaptado pela Agenda 21 – Programa das Nações Unidas, durante a Eco 92, no Rio de Janeiro. E por que não dizer que os dois termos possuem o mesmo significado?

Sustentabilidade vai muito além de propagandas


Enquanto desenvolvimento sustentável está reservado a atividades de desenvolvimento propriamente ditas, sustentabilidade diz respeito a um conjunto de ações humanas no que se diz ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente aceito, e que se resume em utilizar recursos de forma a não comprometer seu aproveitamento futuro em outras gerações.

Uma grande empresa, do porte da Nike, pode até economizar dinheiro, tempo, energia de computadores, câmeras de filmagem, etc. Mas, isso é ínfimo perto do que uma empresa economizaria se adotasse práticas sustentáveis no dia a dia e principalmente, na sua linha de produção, utilizando matéria prima produzida de forma sustentável, mão de obra valorizada e dando destinação correta aos resíduos tóxicos.

Tudo isso contribuiria não só para a sustentabilidade mas, também para o desenvolvimento sustentável de boa parte dos países nos quais as grandes fábricas destas empresas estão instaladas.

E fica a pergunta: O que é ser sustentável para uma empresa nos dias de hoje? É fazer propaganda? Certamente, não.

Vemos tentativas precárias de colocar a questão da sustentabilidade em um patamar em que nunca esteve: o de ferramenta publicitária; ou seja, de vendas.” – Nuts Ideias

*Greenwash é quando uma empresa utiliza de ferramentas da comunicação para defender a ideia de que é eco-friendly e sustentável, muitas vezes sem demonstrar algum tipo de ação efetiva em defesa da sociedade, da economia e do meio ambiente.

Referências: Nuts
Fotos: Liachoi / Fair Trade Nude In

Sobre o Autor: Zilah Rodrigues ( @Ziilah | G+ )

Zilah Rodrigues

Publicitária, assessora de projetos no 3º setor e crafteira nas horas vagas.

Site: http://www.donadascoisinhas.com.br/ - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário

  • Victor

    Sustentabilidade se tornou um termo da moda,e uma nova forma de enganar o consumidor!

  • Maysagomes

    Muito interessante a retomada do termo “desenvolvimento sustentável” e sua relação com a  Agenda 21 – Programa
    das Nações Unidas e a Eco 92, no Rio de Janeiro. Isso coloca em pauta um compromisso maior, coletivo, mundial,  que a abreviada “sustentabilidade” esconde.
    Por isso, neste contexto que vc apresentou, não é nada interessante para as empresas igualar os dois termos. Simples assim….

    Parabéns pelo texto e mais que isso, pelo discernimento político da questão!!!

  • Fernando

    Olá a todos,

    Sou leitor do blog e achei a matéria bastante interessante. De fato, o greenwashing existe mas acho importante ressaltar que este é um cenário que está mudando no que diz respeito ao mercado publicitário. Isto porque estão surgindo marcos regulatórios na área relacionados ao tema sustentabilidade como o CONAR, que recentemente criou normas que visam combater o greenwashing. Inclusive, o próprio Itaú foi notificado e teve de tirar do ar a campanha.

    Faço parte da mii que é a 1ª empresa do Brasil a produzir o que chamamos de mídias naturais, ou seja, são plataformas de mídias que fazem o uso racional de recursos naturais e materiais reutilizados como alternativas de plataformas de comunicação efetivamente sustentáveis para as empresas. 
    Somente não concordo com o título “sustentabilidade vai muito além da propaganda”. Como em todas as áreas, acho que  é  totalmente viável fazer publicidade e comunicar ao mesmo tempo em que se diminui o impacto ambiental. Portanto a sustentabilidade pode sim fazer parte da propaganda. Acho que a mii é uma prova disso.

    Um abraço a todos!

  • Muito boa matéria, parabéns!

  • Muito boa a matéria. Parabéns

  • gab

    Gostei da reflexão. Quem sabe a Nike e outras marcas como ela não investem na propaganda de como, onde e por quem são feitas as roupas; de quanto essas pessoas ganham, em termos de porcentagem sob o valor final; e de onde, em que condições e quantas horas por dia trabalham nas suas fábricas…

  • Zilah Rodrigues

    Oi, Fenando. Obrigada pelo cometnário! E parabéns pelo seu trabalho nessa área e pela busca de soluções sustentáveis para as mídias, acredito que é uma área que realmente necessita deste tipo de ação e pensamento.
    Quando dizemos que “sustentabilidade vai muito além da propaganda”, queremos dizer que não basta fazer a propaganda, independente da forma como é feita, e não adotar uma política no que se refere à linha de produção, logística e vendas que não contribua para o desenvolvimento sustentável dos locais onde a empresa atua. Nesse caso, acredito que mesmo se a Nike usasse mídias naturais, não compensaria os danos que causa à sociedade e ao meio ambiente.
    E outra coisa, é uma opinião muito própria, já que a maioria das propagandas está ligada à venda e ao consumo, a publicidade por si só não é algo sustentável, a não ser que esteja estritamente ligada a uma causa social ou ambiental.