• FEED

Susana Prizendt

Todos juntos por uma alimentação sem veneno!

 

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos

As Olimpíadas terminaram, medalhas foram anunciadas, mas nada apareceu na mídia sobre um triste troféu que o Brasil já ganha por 3 vezes seguidas. E justamente em um setor vital para toda sua população: o cultivo dos alimentos que todos ingerimos diariamente. Você sabia que somos tricampeões mundiais absolutos no uso de pesticidas?

Sim, nosso país detém desde 2009 o título de recordista na modalidade despejo de agrotóxicos no solo! Usamos em nossas terras cerca de 20% do total dos venenos que são fabricados no mundo todo. Nada menos do que 5,2 litros por brasileiro ao ano.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos

Mas isso não é tudo… Além da maior quantidade utilizada, nós ainda permitimos o uso das piores substâncias que compõe os agrovenenos. As substâncias mais perigosas já foram proibidas na maior parte dos países, mesmo na Ásia e na África, mas aqui são permitidas, fazendo com que nos tornemos uma verdadeira lixeira tóxica do mundo!

Diante desta situação, mais de 50 entidades nacionais da área da saúde, da segurança alimentar, do meio ambiente e dos movimentos sociais se juntaram desde 2011 na Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, que tem o objetivo de sensibilizar a população brasileira para os riscos que os agrotóxicos representam e, a partir daí, tomar medidas para frear seu uso no Brasil através da cobrança de ações do poder público e da promoção das iniciativas de cultivo orgânico.

Segundo a coordenadora do comitê paulista, Susana Prizendt, hoje já existem inúmeras pesquisas e dossiês com provas concretas dos males causados pelos agrotóxicos tanto para quem lida com eles na plantação, quanto para quem os consome em alimentos contaminados. Ao mesmo tempo, milhares de agricultores pelo Brasil já adotam sistemas agroecológicos que geram alimentos saudáveis com produtividade por metro quadrado até mesmo superior à produtividade do sistema convencional. Portanto não há mais como dizer que essa produção orgânica não é suficiente para alimentar a população.

Então, o que podemos fazer? Participe do Crowdfunding

Na verdade nesse exato momento todos nós podemos contribuir para frear esse uso abusivo de venenos em nossa comida. Para viabilizar as ações essenciais da campanha, seus integrantes criaram um projeto de “crowdfunding” (financiamento colaborativo) no site Catarse. Agora é a hora de todos nós dizermos um basta e colaborarmos com a conquista de alimentos realmente seguros em nossa mesa. Entre já nesse link http://catarse.me/pt/projects/851-transformacao-agroecologica-colaborativa#about  para saber os objetivos do projeto, as ações previstas e as possibilidades de contribuir!

Restam apenas duas semanas para que o projeto atinja sua meta, se ela não for plenamente alcançada, tudo o que foi doado é devolvido aos doadores e a campanha não obterá os recursos tão necessários para virarmos essa mesa e para cessarmos de contaminar nossa terra, nossa água, nosso ar com essas substâncias (agro)tóxicas!

Doe agora, converse com seus amigos para doarem, divulgue em suas redes sociais, mobilize sua comunidade! Juntos podemos realizar essa Transformação Agroecológica Colaborativa!

Sobre o Autor: Susana Prizendt ( | G+ )

Susana Prizendt

Arquiteta urbanista pela FAU-USP, com formação em projetos socioambientais, é coordenadora da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida. Integra os coletivos Hortelões Urbanos, Cooperativa de Semeadores e Grupo de Estudos em Agroecologia e é colaboradora do Cineclube Socioambiental Crisantempo.

Site: http://www.contraosagrotoxicos.org/ - Veja todos os artigos de

Faça seu Comentário